Transportes

SATA aprova acordo de emergência. Sindicato diz que salvou mais de 500 postos de trabalho na TAP

Num universo de 213 associados tripulantes da SATA, votaram 152 associados, com 135 votos a favor e 17 votos contra o ‘Acordo de Emergência’, releva um comunicado do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, dando assim por concluído um processo que envolveu 40 reuniões com as administrações da PGA, da TAP e da SATA, num balanco global em que o sindicato destaca que se salvaram mais de 500 postos de trabalho na TAP.

Acionista da Groundforce aceita todas as exigências do Governo para empréstimo (com áudio)

Na quinta-feira, o ministro das Infraestruturas disse que o empréstimo bancário à Groundforce será dado por um banco privado, com aval do Estado, realçando que as exigências para o financiamento aguardado serão “as mesmas” que as impostas para o adiantamento pela TAP.

AdC alerta concessionárias de transportes rodoviários de passageiros para boas práticas

Entre outros pontos, a AdC aconselha as entidades de transportes a privilegiarem a adjudicação da exploração de serviço público através de concurso. A utilização do ajuste direto deve ter um caráter excecional.

IATA agrava previsões para a aviação comercial em 2021

A atividade da aviação em 2021 será pior do que se previa em dezembro de 2020, com a IATA a antecipar que até ao fim do ano o tráfego do sector deverá oscilar entre 33% e 38% daquilo que registou em 2019, agravando o “cash burn” das companhias aéreas para um valor preocupante que deve variar entre 61,5 mil milhões de euros e 77,9 mil milhões de euros.

“Negociações com Bruxelas não estarão concluídas em março”, prevê presidente da TAP

“O facto de ser mais pequena, com 88 aeronaves, não anula que esteja previsto que a frota da TAP possa recuperar. Quando a TAP foi privatizada, em 2015, tinha 75 aeronaves e ninguém dizia que era uma ‘TAPzinha’”, comentou esta terça-feira o Chairman da TAP, Miguel Frasquilho, na audição na Comissão Parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

PCP: “Plano de Reestruturação da TAP já provocou alterações inaceitáveis”

Na audição parlamentar que esta terça-feira está a ser feita ao CEO da TAP, Ramiro Sequeira referiu que se a situação pandémica piorou, “a retoma de 2024-2025 não será antecipada, e ainda ninguém sabe quando vai ser a retoma”, pelo que as críticas feitas pelo deputado do PCP, Bruno Dias, sobre as “alterações inaceitáveis” feitas na TAP esquecem que estas alterações visam sobretudo “salvar 7000 postos de trabalho na companhia aérea”, diz o CEO.
Ver mais artigos