João Leão desmente Catarina Martins: “não está previsto nenhum empréstimo direto do Estado” ao Novo Banco no OE2021

Em entrevista à rádio “TSF”, o ministro do Estado e das Finanças, João Leão, dá conta de que a proposta orçamental não autoriza empréstimos nem “por via dos impostos nem pela via direta do Estado” ao Novo Banco e que também não se prevê, “nos próximos anos, qualquer apoio direto” ao Fundo de Resolução.

João Leão, Minister of Finance, at the presentation of the State Budget 2021 | Cristina Bernardo

O Governo garante que “não está previsto nem autorizado” no Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) “nenhum empréstimo direto do Estado” ao Novo Banco. O ministro do Estado e das Finanças, João Leão, assegura que a proposta orçamental não autoriza empréstimos nem “por via dos impostos nem pela via direta do Estado” ao Novo Banco e que também não se prevê, “nos próximos anos, qualquer apoio direto”.

“A questão colocada ao governo sobre o Fundo de Resolução, até por parte dos parceiros parlamentares, era não se querer que o Estado fizesse um empréstimo direto. Nós conseguimos garantir que no próximo ano não está previsto nem autorizado no OE nenhum empréstimo direto do Estado”, garantiu João Leão, em entrevista à rádio “TSF”, on the possibility of having a State loan to the Resolution Fund in 2021 to inject into Novo Banco.

João Leão reiterou que não haverá qualquer empréstimo do Estado ao Fundo de Resolução nem “por via dos impostos nem pela via direta do Estado”. “O IGCP [Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública] ou os impostos portugueses não vão financiar diretamente nenhuma verba para o Fundo”, sublinhou.

“O que está previsto nestes 275 milhões é um empréstimo dos bancos ao Fundo de Resolução para fazer, em função das necessidades, a tal injeção ao Novo Banco com o limite inscrito no orçamento de 475 milhões. As necessidades de amortizar esta dívida tem sido satisfeita ao longo dos anos pelos bancos. Os bancos todos os anos pagam uma verba significativa em juros ao Estado e vão financiando as necessidade do Fundo de Resolução”, explicou.

Segundo João Leão, não serão os contribuintes a pagar estes 275 milhões de euros e o que o Estado fez no passado foi “emprestar” dinheiro e “não transferir”. O ministro das Finanças realçou ainda que “não está previsto nem neste nem nos próximos anos qualquer apoio direto” ao Fundo de Resolução para financiar o Novo Banco e garantiu que “o Fundo consegue amortizar a dívida que contraiu” sem necessidade de mais empréstimos.

Quanto ao empréstimo de 275 milhões de euros que os bancos farão ao Fundo de Resolução, o governante referiu que vai ser devolvido até 2046 e não há risco de o Fundo de Resolução ter de pedir emprestado ao Estado para pagar este empréstimo. “O Fundo de Resolução vive das próprias contribuições dos bancos. As simulações feitas não anteveem nenhuma necessidade”, disse.

Asked about the fact that that 275 million euros go into deficit, João Leão disse que se trata de “uma questão meramente estatística”. “Por decisões das autoridades de estatística do INE, seguindo as regras estabelecidas pelo Eurostat. O Fundo, sendo uma entidade do setor financeiro, foi reclassificada e entra no perímetro das contas públicas. Apenas por esse efeito estatístico esta entidade afeta a dívida e o défice”, explicou.

Statements contradict leader of the Left Bloc

João Leão's statements deny the leader of the Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, who came to say that o ministro das Finanças foi claro ao reconhecer que o OE2021 “dá 200 milhões de euros do Fundo de Resolução”, aos quais se soma o empréstimo dos bancos ao Fundo de Resolução, que “terá de ser pago pelo Estado”.

“Centro-me no que me têm dito as pessoas com temos negociado o Orçamento do Estado e com quem temos tido reuniões e procurado soluções. Registo que o ministro das Finanças reconhece que este Orçamento do Estado dá 200 milhões de euros do Fundo de Resolução, com dinheiro público, para ir para o Novo Banco, a que acresce o empréstimo que os bancos fazem ao Fundo de Resolução”, disse Catarina Martins, esta sexta-feira.

This Friday, too o Partido Socialista (PS) veio acusar a coordenadora do BE de “mentir” ao dizer que o OE2021 não vai “avançar mais” no combate à pobreza por causa da injeção de capital ao Novo Banco. O grupo parlamentar do PS garante que “o OE2021 não prevê a transferência de dinheiros públicos para o Fundo de Resolução para que possa reencaminhar para o Novo Banco”.

“Essas acusações estão baseadas numa mentira e essa mentira tem que ser desfeita. Não podemos deixar de o denunciar”, asseverou o vice-presidente do grupo parlamentar do PS João Paulo Correia.

Read more
Related

Catarina Martins insiste que “é cristalino” que OE2021 contempla verbas para o Novo Banco

A líder bloquista diz que o ministro das Finanças, João Leão, foi claro ao reconhecer que o OE2021 “dá 200 milhões de euros do Fundo de Resolução”, aos quais se soma o empréstimo dos bancos ao Fundo de Resolução, que “terá de ser pago pelo Estado”.

OE2021: PS accuses Catarina Martins of “lying” about transfer to Novo Banco

The PS parliamentary group denies that the Government's proposal will not "advance further" in the fight against poverty because of the capital injection to Novo Banco and says that this is "a lie has to be undone". Socialists also say they remain available to negotiate "in good faith".

What is the impact of OE2021 on Novo Banco

What is foreseen in the OE2021 for the Resolution Fund? What is the direct impact of the deficit? Maria Teixeira Alves, a journalist for Jornal Económico, answers these and other questions that have Novo Banco as a background.
Recommended

OE2021: Union federation requested changes to BE and PS

The Federation of Public Administration Unions (FESAP) today asked deputies from the Left Bloc and the Socialist Party to propose changes to the State Budget (OE) for 2021 to respond to the demands of public officials.

Latin America is the region most affected by fake news about covid

the Bruno Kessler Foundation's Covid-19 Infodemia Observatory states that, of the 83 countries under study, the 15, where the reliability of information about the disease disseminated through digital media is the lowest, are found in Latin America, where 59 % of what is published is considered “reliable”.

Covid-19: Pharmacist Chairman Says Health Failed Winter Planning

The staff of pharmacists defended today that the country, namely in the area of ​​Health, failed to prepare for the autumn-winter period and criticized the “very irregular communication” that has been made of the pandemic, which is not combated with “norms”.
Comments