JE editors

A JE editors do grupo Megafin, é uma equipa dedicada a comunicar marcas de forma eficaz e diferenciada. Apostamos na variedade de formatos de comunicação para todo o tipo de leitores.

Sem economizar esforços, vamos projetar a sua marca com artigos, vídeos, infografias, webconferências, podcasts, entre outros totalmente customizados. Queremos surpreender cada cliente com branded content e native advertising inovadores, para criar “engagement”, fidelizar audiências e conquistar outras.

Através das redes sociais e newsletters do Jornal Económico, ampliamos a notoriedade desse conteúdo. Trabalhamos à medida de cada projeto, juntando ao rigor informativo do Jornal Económico a eficácia da criatividade.

Parceiros

Pedro Borges Caroço sobre o regresso da Page Executive: “Estava na hora”

O Associate Partner da Page Executive, Pedro Borges Caroço, fala sobre a formalização do regresso da marca especializada em recrutamento de executivos ao mercado português e sobre a importância desses profissionais para a valorização das empresas.

Capital Verde. Como será o financiamento na era sustentável?

A consciência ambiental está cada vez mais presente nos mercados e o “Capital Verde” é o tema da próxima JE Brand Channel Talks. Assista no dia 16 de setembro, às 15h00, na JE TV.

Assessoria financeira: como liderar num mercado em mudança?

Num tempo de indefinição, é cada vez mais importante ter profissionais que ajudem a traçar estratégias adequadas para cada empresa. A importância da assessoria financeira será o tema da próxima JE editors Talks.

Serão os bancos centrais os culpados pelas desigualdades sociais?

Não é óbvio que os bancos centrais sejam aqueles que mais contribuem para as desigualdades de rendimentos. Mas, em termos de equilíbrio, e apesar da falta de literatura que existe em torno do tema, é provável que as baixas taxas de juro estejam mais a moderar as desigualdades em vez de as exacerbar. Já seria bastante razoável que toda a história fosse contada quando existem intervenientes que culpam os bancos centrais pelas desigualdades existentes. Ou que pelo menos, dois terços da população mundial não fosse ignorada.

A ameaça global que ninguém quer aceitar

Ao longo do último ano e meio assistimos à maior intervenção por parte dos Bancos Centrais na história: aquilo que poderia ter gerado o colapso total do sistema financeiro acabou por se revelar a maior e mais rápida recuperação desde sempre.

O futuro dos criptoativos num gráfico

Apesar dos últimos movimentos no mercado das criptomoedas, a maior parte das criptomoedas começou a recuperar parte das perdas que surgiram no final de maio, enquanto que o mercado regista a entrada de novos investidores de retalho.
Ver mais artigos