10 Junho: Costa salienta que Governo e PR coincidem em querer celebrar parte fora de Portugal

O primeiro-ministro apontou este sábado a opção de celebrar parte do 10 de Junho fora de Portugal como uma “entre as muitas coincidências de pontos de vista” entre Governo e Presidente da República, considerando natural a escolha de Cabo Verde.

No final da V Cimeira Portugal – Cabo Verde, em Lisboa, quer António Costa quer o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, foram questionados sobre a escolha de Cabo Verde para acolher parte das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades.

“Entre as muitas coincidências de pontos de vista que, tradicionalmente, o Governo e a Presidência da República têm, deu-se o caso de, quer eu na campanha para as legislativas, quer Marcelo Rebelo de Sousa na campanha para Belém, ambos termos defendido que esse dia devia passar a ser comemorado não só no território português, mas também junto das comunidades portuguesas”, realçou Costa.

Depois de Paris, Brasil e Estados Unidos terem acolhido parte das comemorações nos últimos 10 de Junho, a escolha de Cabo Verde surgiu como natural: “Faltava-nos o continente africano”, disse, acrescentando que a escolha se deveu igualmente aos 18 mil portugueses que residem nesse país.

“Tivemos um excelente acolhimento. Vai ser um momento muito importante de continuar a manter esta tradição de celebrar em Portugal e junto das nossas comunidades”, afirmou.

Questionado sobre o diploma que lhe foi entregue pelo Presidente da República sobre nomeações familiares, o primeiro-ministro considerou que “não era oportuno” tratar essa matéria no final da V Cimeira com Cabo Verde.

Por seu lado, Ulisses Correia e Silva disse que a notícia de que Cabo Verde iria receber parte das comemorações do 10 de Junho “foi muito bem acolhida”.

“As nossas relações são fáceis, de intimidade, de cumplicidade”, destacou.

Além da comunidade portuguesa residente no país, Ulisses Correia e Silva considerou que no próximo 10 de Junho se irá celebrar “a diáspora”, destacando que Cabo Verde e Portugal têm comunidades emigrantes nas mesmas cidades pelo mundo fora.

Foi em 31 de dezembro do ano passado que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou, em Cabo Verde, que iria passar parte do 10 de junho, Dia de Portugal e das Comunidades, neste país, onde visitará as cidades da Praia e do Mindelo.

Só mais tarde foi anunciado que as comemorações oficiais terão início em Portalegre.

Ler mais
Relacionadas

Portugal e Cabo Verde destacam simbolismo do 10 de Junho e marcam VI Cimeira para 2021

Portugal e Cabo Verde apontaram este sábado a realização de parte das comemorações oficiais do 10 de Junho na Praia e Mindelo como “um momento simbólico relevante” do relacionamento bilateral e marcaram a VI Cimeira para 2021, em Cabo Verde.

Portugal e Cabo Verde assinam dez acordos de cooperação

Portugal e Cabo Verde assinaram hoje 10 acordos de cooperação em áreas como migrações, turismo, segurança, educação, administração pública e cultura no âmbito da cimeira entre os dois países, que hoje decorreu em Lisboa.
Recomendadas

Justiça cabo-verdiana arquiva denúncia-crime do maior partido da oposição

A Procuradoria-Geral da República anunciou esta quinta-feira o arquivamento da denúncia-crime apresentada pelo maior partido da oposição (PAICV) contra a Câmara Municipal da Praia, que alegava “indícios de gestão danosa e irregularidades” na construção de um mercado.

Banco de Cabo Verde revê em alta crescimento económico para 2019

O novo relatório de política monetária do banco central cabo-verdiano aponta para um crescimento do PIB do país africano na ordem dos 5%.

Presidente de Cabo Verde veta lei sobre regime de execução da política criminal

Jorge Carlos Fonseca devolveu o diploma à Assembleia Nacional pela “inconstitucionalidade” de um dos artigos.
Comentários