300 médicos reúnem-se na Madeira nas Jornadas do Interno

As Jornadas do Interno realizam-se no Colégio dos Jesuítas e vão discutir temas como: a pequena cirurgia, as intoxicações, o exame físico músculo-esquelético, e urgências em cardiologia.

As Jornadas do Interno vão reunir este sábado cerca de 300 médicos, vindos de todo o país, na Madeira, num programa, que se iniciou-se na passada sexta-feira, e inclui sete cursos pré congresso e mesas redondas.

As mesas redondas que se estendem até este sábado, no Colégio dos Jesuítas, da Universidade da Madeira, vão discutir temas como: ‘UPDATE em Patologia Respiratória’, ‘O Impacto da Migração na Saúde Pública da Região’, ‘Desafios na Idade Pediátrica’, ‘Epidemias Atuais’, ‘Vacinação no Século XXI – Novos Paradigmas’, ‘Mitos e Modas em Saúde’, ‘Emergência’ e ‘Internato Médico’.

Os cursos pré-congresso abordaram assuntos como a ‘Pequena Cirurgia’, as ‘Intoxicações – Abordagem no Serviço de Urgência’, a ‘Terapêutica Injetável na DM2’, o ‘Exame físico músculo-esquelético’, as ‘Urgências em cardiologia – simulação clínica’ e ‘Gastroenterologia para não gastroenterologistas’.

 

Recomendadas

Parlamento Europeu: Sara Cerdas nomeada para delegações Euro-Latino-Americana e África do Sul

Sara Cerdas afirma a necessidade de “construir pontes, criar relações consolidadas e intervir diretamente nos problemas que afetam diariamente os nossos emigrantes”, acrescentando que o Parlamento Europeu dispõe de mecanismos que podem ajudar a ultrapassar alguns desses problemas.

Madeira: CDU denuncia destruição do Vale do Porto Novo por utilização de pedreiras e britadeiras

Edgar Silva diz que a destruição ambiental na Região “é uma realidade que acontece porque conta com poderosos interesses económicos aos quais os governantes nas autarquias e no Governo Regional dão proteção”.

Albuquerque quer auscultar população para definir programa de Governo

Para o presidente do Governo Regional, a escolha nas eleições regionais, é entre aqueles que “salvaguardam o direito dos madeirenses a decidirem o seu presente e futuro” e “aqueles que estão subordinados aos interesses centralistas de Lisboa”.
Comentários