5ª edição do RALI: realidade aumentada por portugueses já “surpreende pela positiva”

O RALI – Realidade Aumentada em Lisboa, evento promovido pela NextReality, voltou a assumir-se como o palco privilegiado de debate e demonstração do que melhor se faz em Portugal em Realidade Aumentada e Realidade Virtual.

A quinta edição do RALI – Realidade Aumentada em Lisboa, iniciativa criada e desenvolvida pela NextReality, empresa do IT People Group dedicada à transformação digital através de Realidade Aumentada e Realidade Virtual, embora tenha marcado a diferença pela originalidade do horário (ao lusco-fusco, entre as 18h e as 20h), repetiu-se em matéria de sucesso e de alcance, tendo chegado maior número de profissionais e curiosos sobre Realidade Aumentada.

Este sucesso foi desde logo assegurado pelo formato de “ponto de encontro”, no Museu das Comunicações, em Lisboa, logo a seguir às sessões da Web Summit, conseguindo assim criar “como que uma montra internacional para o talento português em RA e RV numa área tecnológica que está a despontar”, sublinha Luis Bravo Martins, Head of Marketing do IT People Group, ao Jornal Económico.

Segundo o especialista, apesar da fase embrionária em que o nosso país se encontra, “claramente longe do que os líderes, EUA, fazem e já há muito tempo”, o que por cá se faz em matéria de Realidade Aumentada e Realidade Virtual “já consegue surpreender, pela positiva, os seus pares e é claramente bom”.

Quanto ao RALI, desenvolvido ao longo de três dias, apostou em temas fortes que, para a organização, podem fazer a diferença. Assim, o arranque esteve a cargo da associação Chicas Poderosas, Women in Tech e NowHere Media sobre “Mulheres na Realidade Virtual”. Dar a palavra às mulheres, no sentido de as captar, positivamente, para este universo tecnológico, através de exemplos de sucesso e grande potencial, transformou-se num encontro “bastante inspirador”, frisou Luís Bravo Martins.

O encontro seguinte debruçou-se sobre o potencial para Nearshoring das áreas de RA e RV em Portugal, enquadrando as necessidades do tecido empresarial, bem como a capacidade catalisadora do nosso país neste tipo de atividade.

O RALI terminou com a apresentação do primeiro preview público do Relatório Enterprise 2017 da “VRARA – VR and AR Association”, antes do seu lançamento oficial e publicação pela revista Forbes.

Estes três dias ficaram marcados por vários momentos “open mic” (microfone aberto) com intervenções de empreendedores com negócios de RV e RA, ou profissionais com dúvidas, destacando-se ainda algumas demonstrações de casos nacionais, protagonizados pela Microsoft Hololens, Apple ARKit e mais tecnologias de Realidade Aumentada.

Ler mais
Recomendadas

ANACOM celebra 30º aniversário com mudança de imagem do site

A ANACOM vai também levar a cabo outras iniciativas, designadamente, a organização de um concurso de fotografia de âmbito nacional e a abertura ao público do acervo documental da ANACOM.

Venda da Cimpor: como se desfez o ‘império’ cimenteiro em Portugal

A Cimpor chegou a operar em quatro continentes e em 12 países. A empresa extingue-se, mas permanece a marca. E fica a promessa dos turcos em “fazer da Cimpor novamente uma grande empresa”.

Matos Fernandes: “Grande aposta na energia elétrica em Portugal é no solar”

Na conferência foi referido que em 2030 a meta de contribuição da totalidade das fontes de energia renováveis é de 37% na Europa, enquanto para Portugal o objetivo é alcançar 47%.
Comentários