Guerra comercial: União Europeia responde às tarifas de Trump em 90 dias, se não for excluída

O Canadá e o México ficaram isentos das tarifas dos Estados Unidos da América sobre o aço e o alumínio.

Ler mais

Caso os Estados-Membros da União Europeia não sejam excluídos do pacote de países visados nas tarifas dos Estados Unidos da América sobre o aço e o alumínio, a Comissão Europeia vai recorrer à Organização Mundial do Comércio (OMC) dentro de 90 dias.

“A Europa certamente não é uma ameaça para a segurança interna americana, portanto esperamos ser excluídos [das tarifas de 25% no aço e 10% no alumínio] (…). Tornámos muito claro que [a decisão norte-americana] não está em conformidade com a OMC, portanto, iremos à OMC, possivelmente com alguns outros amigos”, afirmou, esta manhã, a comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmstrom.

A responsável da Comissão Europeia disse aos jornalistas, em Bruxelas, que é importante “proteger” a indústria do bloco “com medidas de reequilíbrio”. Cecilia Malmstrom admitiu que partilha as preocupações dos EUA em relação ao excesso de capacidade no setor siderúrgico, mas frisou que não acredita nas tarifas como forma de resolver o problema.

No início desta semana, a Bloomberg avançou que a União Europeia estava a preparar tarifas punitivas para responder à ameaça dos Estados Unidos da América de avançar com a imposição de tarifas sobre o aço e alumínio. O documento a que a agência teve acesso mostra que a Comissão Europeia vai responder na mesma moeda com a aplicação de taxas aduaneiras especiais (25%) sobre as importações de vestuário, calçado e motas.

Na lista de produtos norte-americanos visados estão os jeans da Levi’s e bourbon whiskey, camisolas, cosméticos e outros bens de consumo, assim como sumo de laranja, milho, produtos agrícolas e bens industriais.

Relacionadas

China promete retaliar em caso de guerra comercial com os EUA

Após a renúncia de Gary Cohn, principal conselheiro económico da Casa Branca, é expectável que Trump aprove esta semana as taxas alfandegárias de 25% às importações de aço e de 10% para as compras de alumínio.

Guerra comercial volta a penalizar Wall Street

Principais índices abriram a sessão a cair e a refletir as dúvidas em torno de uma possível guerra comercial.
Recomendadas

Comércio “altamente” dependente de flutuações de preços do petróleo

Um aumento do preço do petróleo resulta numa deterioração das trocas comerciais e numa diminuição do poder de compra das famílias, segundo estudo publicado no ‘Economic Bulletin Issue’ do BCE.

‘Fair play’ financeiro: UEFA pede mais investigação ao Paris Saint-Germain

Investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

Porto ultrapassa Lisboa nos preços do alojamento local

Ao contrário do que se verificava tradicionalmente, os valores em Lisboa subiram 11,6%, enquanto que, no Porto, o aumento atingiu os 17,5%.
Comentários