A Web Summit sente-se em casa

A partilha de ideias entre empresas e ‘startups’ é benéfica para ambas as partes, pois quando construímos algo em conjunto, conseguimos mais inovação.

E se a Web Summit fosse uma pessoa? Se fosse, acredito que seria portuguesa – empreendedora, inovadora, apaixonada pelas novas tecnologias e pela descoberta e adesão a novas ferramentas que facilitem o dia a dia, como é o caso do nosso MULTIBANCO, que agora também nos permite deixar a carteira em casa.

Esta nova tendência ainda é considerada uma novidade, mas aquilo que conhecemos como economia cashless está a ganhar terreno. Portugal quer ser um dos pioneiros nesta difusão e tem todas as condições para isso. Apesar de sermos um país pequeno, somos grandes em inovação, graças à nossa cultura tecnológica e ao facto de termos um dos sistemas de pagamento mais modernos da Europa.

A Web Summit é um evento fundamental para Portugal porque permite apresentarmo-nos ao mundo como empreendedores e inovadores. Obriga a que as empresas se mantenham atualizadas, relevantes e dinâmicas. O espírito empreendedor que tem crescido por todo o mundo instala-se em Lisboa para que todos os envolvidos no ecossistema tenham a oportunidade de partilhar, ouvir e serem ouvidos.

Mais do que impulsionar a inovação, a Web Summit também mostrou, a empresas e startups, as virtudes de estabelecerem relações entre si. As empresas devem estar abertas a trabalhar em conjunto com startups, aproveitando sinergias, de forma a vingarem nos seus mercados.

No caso da SIBS, uma empresa que nasceu assente num modelo de cooperação, nunca foi tão importante saber manter e cultivar relações de colaboração. Durante o terceiro ano da Web Summit em Portugal, também o SIBS PAYFORWARD deu início à sua terceira edição. Este programa de inovação da SIBS marcou o ecossistema das fintech em Portugal, sendo o primeiro acelerador no setor de pagamentos no país, e tem mostrado como as empresas podem beneficiar da partilha de ideias com startups – quando construímos algo em conjunto, conseguimos mais inovação.

Resta-nos, portanto, celebrar a oportunidade de termos mais dez anos de impulso em inovação e empreendedorismo, graças à continuidade da Web Summit em Portugal. Aproveitemos, pois, para mostrar que estamos, de facto, à altura deste reconhecimento. Quiçá em 2028 iremos celebrar verdadeiramente uma década mais cashless.

Recomendadas

Digitalização vai criar oportunidades para surgimento de novas empresas de outsourcing

O Jornal Económico foi ouvir alguns ‘players’ do mercado sobre a forma como a transformação digital está a revolucionar o outsourcing. No que respeita a Portugal, a opinião é de que revela uma crescente atratividade enquanto plataforma tecnológica para o desenvolvimento de software e novas tecnologias, consultoria, investigação e conhecimento.

PremiumBLAST PRO SERIES: Vai andar tudo aos tiros na Altice Arena

Lisboa está a ser palco, pela primeira vez, palco do circuito mundial de torneios de jogos eletrónicos, ou ‘eSports’. Uma indústria em crescimento vertiginoso em todo o mundo, que movimenta milhões em dinheiro, em praticantes, em audiências televisivas e em contratos de patrocínios.

Venezuela: Último jornal impresso crítico do governo deixa formato papel

O secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa diz que este é um produto do desrespeito pelo pensamento crítico e diferente.
Comentários