Abastece em Espanha? Gasóleo vai subir 3,8 cêntimos

Governo ressalva que 30% dos valores desta medida vão ser utilizados em 2020 para impulsionar medidas que fomentem a mobilidade

O governo espanhol aprovou esta sexta-feira o projeto de lei para o Orçamento Geral do Estado para 2019, no qual contempla o aumento do gasóleo em 3,8 cêntimos por litro para os consumidores privados.

A decisão de suprimir com a bonificação do diesel terá um impacto de três euros mensais para o consumidor médio, o que significará pagar até 36 euros por ano. “A medida não terá impacto no gasóleo profissional, incluindo os profissionais agrícolas” afirmou a ministra da agricultura espanhola, María Jesús Montero, ao mesmo tempo que dizia que a medida servirá para subsidiar políticas de mobilidade sustentável. Para evitar que o estado espanhol seja enganado, Montero disse que a Agência Tributária tem a capacidade de identificar quando se abastece de forma profissional ou pessoas.

A ministra da agricultura ressalvou que 30% dos valores desta medida vão ser utilizados em 2020 para impulsionar medidas que fomentem a mobilidade sustentável, algo que consideraram “fundamental” para a renovação da frota de automóveis espanhóis, e também irá servir para ajudar as empresas e melhorar a competitividade e ajudar a indústria a adaptar-se ao século em que nos encontramos.

Esta é uma decisão que pode ser encarada como negativa para alguns portugueses que vão muitas vezes abastecer a Espanha, pelo facto do valor dos combustíveis serem consideravelmente mais baixos do outro lado da fronteira de Portugal.

Recomendadas

É oficial: o café está em risco de extinção

Alterações climáticas que se têm sentido nos últimos anos estão a afetar a produção de café.

Inquilinos esperam promulgação de alterações à lei das rendas

A Associação dos Inquilinos Lisbonenses (AIL) disse hoje à Lusa que espera que as alterações à legislação das rendas sejam promulgadas pelo Presidente da República, defendendo que estas podem ser “globalmente positivas”, mas também comportam aspetos negativos.

Reforma da supervisão financeira anunciada há quase dois anos continua por fazer

A reforma da supervisão financeira faz parte do programa do Governo, de finais de 2015, e logo em 2016 o ministro das Finanças, Mário Centeno, falou da necessidade de lançar uma “reflexão profunda” sobre a supervisão, para que “funcione melhor”, tendo em conta que “a experiência recente do sistema financeiro [português] é dececionante”.
Comentários