Abu Dhabi diz que pagou o preço “certo” ao dar 450 milhões de dólares pelo da Vinci

Um alto quadro do governo de Abu Dhabi disse que o emirado do Golfo pagou o preço certo para adquirir a pintura “Salvator Mundi” de Leonardo da Vinci, ao pagar 450 milhões de dólares, avança a Bloomberg. O quadro vai ser exibido no Louvre de Abu Dhabi.

O emirado do Golfo diz que pagou o preço certo para adquirir o quadro”Salvator Mundi” de Leonardo da Vinci, (450 milhões de dólares ou 381,6 milhões de euros), para ser exibida no Louvre de Abu Dhabi.

“Trabalhamos muito de perto com o corretor neste quadro, fizemos a oferta e conseguimos adquiri-lo, graças a Deus, pelo preço que consideramos ser o valor certo”, disse Mohamed Khalifa Al Mubarak, presidente do Departamento de Cultura e Turismo de Abu Dhabi , hoje na conferência da Bloomberg Invest.

“É uma peça excepcional”, disse o representante do Estado. “Muitos de nós esperamos por algo surpreendente, e o surpreendente não acontece todos os dias”, disse.

Esta declarações surgem três dias depois de a embaixada da Arábia Saudita em Washington ter dito que o príncipe Badr Al Saud atuou como intermediário para ajudar o Departamento da Cultura de Abu Dhabi a comprar o quadro no leilão da Christie’s. O New York Times revelou que a pintura foi comprada por um príncipe saudita chamado Badr bin Abdullah bin Mohammed bin Farhan al-Saud, amigo e associado do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. O Wall Street Journal por sua vez disse que o comprador era um representante do príncipe herdeiro.

A pintura, que retrata Jesus Cristo segurando uma bola de vidro numa mão, foi vendida na Christie’s pelo bilionário russo Dmitry Rybolovlev no passado dia 15 de novembro.

Recomendadas

Dia Mundial da Alimentação: Estas são as melhores fontes para ter uma alimentação mais equilibrada

Conheça os livros, sites, blogs, vídeos e apps onde pode encontrar as melhores dicas para uma alimentação mais saudável.

Encontro artístico Mexe volta ao Porto em 2019

O Encontro Internacional de Arte e Comunidade Mexe regressa ao Porto de 16 e 22 de setembro de 2019, numa quinta edição dedicada ao “comum na sociedade contemporânea”, e com extensões em Faro e Lisboa.

OE2019: Bailarinos consideram “muito importante” proposta de profissão de desgaste rápido

“É muito importante e ficamos muito gratos” com esta proposta, disse José Carlos Oliveira, membro da Comissão de Trabalhadores da CNB contactado pela agência Lusa.
Comentários