Acionista chinês da TAP vai vender 13 mil milhões ativos para evitar crise de liquidez

A decisão foi anunciada em assembleia de credores esta terça-feira pela administração do grupo HNA. O conglomerado chinês está a passar um período de forte instabilidade financeira relacionada com endividamento excessivo.

O conglomerado chinês HNA, acionista da TAP através da Atlantic Gateway, quer vender cerca de 16 mil milhões de dólares (cerca de 13 mil milhões de euros) em ativos no primeiro semestre deste ano, para evitar uma crise de liquidez. A empresa está a passar um período de forte instabilidade financeira relacionada com endividamento excessivo.

A decisão foi anunciada em assembleia de credores esta terça-feira pela administração do grupo, segundo avança a agência “Bloomberg”. O HNA alertou os credores para a possibilidade de a empresa vir a registar um decréscimo de 2,3 mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano. Tendo em conta essa situação, a empresa terá sugerido a venda de alguns dos seus ativos para evitar um impacto financeiro mais grave.

Os atrasos no pagamento de dívida a bancos locais chineses e as dificuldade de acesso a linhas de crédito obrigaram o HNA a pôr à venda em meados de dezembro cerca de 20 imóveis que detinha em várias cidades, como Londres e Nova Iorque. Ao todo são cerca de 100 mil milhões de dólares (80 mil milhões e euros) de dívida que o conglomerado chinês enfrenta.

O HNA, tem montante de 146 mil milhões de dólares em ativos em áreas como bancos, hotéis e companhias aéreas e navais. A empresa é também acionista da transportadora aérea portuguesa TAP através da Atlantic Gateway.