Açores, ilha da Madeira e continente com risco muito elevado de exposição UV

Portugal está hoje com índice de radiação ultravioleta muito elevado, com exceção da ilha de Porto Santo, que apresenta um índice elevado, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

O IPMA prevê hoje para Portugal continental vento quadrante norte mais intenso no litoral oeste e terras altas e pequena subida da temperatura máxima.

Para os Açores é esperado céu geralmente pouco nublado, vento fraco a bonançoso nos grupos Oriental e Central e bonançoso a moderado no grupo ocidental.

A Madeira vai ter céu com períodos de muita nebulosidade, havendo a possibilidade de aguaceiros fracos nas vertentes norte e zonas montanhosas até ao meio da manhã.

O vento vai soprar moderado a forte e, por vezes, com rajadas no extremo leste da ilha da Madeira e nas zonas montanhosas. Está prevista uma pequena descida da temperatura mínima.

Lisboa vai atingir hoje os 29º Celsius, Ponta Delgada os 26º e o Funchal 28º.

Ler mais
Recomendadas

Fim de semana da Páscoa traz chuva (mas temperaturas altas)

O fim de semana de Páscoa vai ser de aguaceiros no Continente, com uma subida gradual da temperatura até sábado e ligeira descida nos dias seguintes, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Páscoa terá chuva mas temperaturas podem chegar aos 27º graus

O fim de semana de Páscoa vai ser de aguaceiros no Continente, com uma subida gradual da temperatura até sábado e ligeira descida nos dias seguintes, informou esta quarta-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

GEOTA coloca ação em tribunal para impedir construção da barragem do Fridão pela EDP

A ação foi colocada em tribunal a poucos dias de o ministro do Ambiente Matos Fernandes tomar uma decisão sobre a construção da barragem do Fridão pela EDP.
Comentários