ACT abre inquérito para investigar acidente nas minas de Aljustrel

Diretor da Unidade Local do Litoral e Baixo Alentejo da ACT, Carlos Graça, indicou à agência Lusa que, após ter sido recebida a informação, uma equipa de inspetores da ACT deslocou-se para o local para proceder a averiguações do acidente.

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) abriu um inquérito para averiguar as circunstâncias em que ocorreu o acidente de hoje nas minas de Aljustrel, que provocou um morto e um ferido, disse fonte do organismo.

O diretor da Unidade Local do Litoral e Baixo Alentejo da ACT, Carlos Graça, indicou à agência Lusa que, após ter sido recebida a informação, uma equipa de inspetores da ACT deslocou-se para o local para proceder a averiguações do acidente.

Carlos Graça explicou que o inquérito para desenvolver as averiguações foi aberto de imediato.

“Quando há acidentes com vítimas mortais, a ocorrência fica em segredo de justiça e não podemos adiantar mais nada”, acrescentou o responsável da ACT.

Um dos dois trabalhadores vítimas da queda de uma máquina nas minas de Aljustrel morreu e o outro foi transportado para o hospital de Beja, segundo fonte da GNR.

A mesma fonte indicou que o óbito do homem foi confirmado às 13:02.

Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) adiantou à Lusa que a vítima mortal é um trabalhador de 47 anos.

O outro trabalhador, de 36 anos, foi transportado, de ambulância, em estado “estável” para as urgências do hospital de Beja, referiu a fonte.

Segundo a GNR, a máquina, onde se encontravam os dois trabalhadores, caiu para um fosso com uma profundidade “entre os 30 e os 40 metros”.

O INEM recebeu o alerta às 11:05 e os meios de socorro incluíram um helicóptero, que não chegou a ser utilizado, bombeiros e GNR.

Ler mais
Recomendadas

Trump promete não construir torre se comprar a Gronelândia

“Prometo não fazer isto na Gronelândia”, afirma Trump no Twitter. A publicação do presidente sobre a compra da ilha dinamarquesa pode querer significar que Donald Trump quer avançar com a oferta irrealista. O Governo de Copenhaga já deixou bem claro que a Gronelândia não está à venda e que a ideia é “absurda”.

Produção no setor da construção cresce mais em Portugal do que na UE em junho

Em junho deste ano em comparação com o mês homólogo do ano passado, a produção média no setor da construção subiu 1% na zona euro e 0,6% na UE. Em Portugal, a subida foi maior, de 1,4%.

Continente e Madeira em risco muito elevado de exposição aos raios UV

Dezassete distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira apresentam hoje um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
Comentários