ACT regista 108 mortos e 234 feridos graves em acidentes de trabalho até outubro

Segundo a ACT, em 2017 morreram 119 trabalhadores e 382 ficaram feridos na sequência de acidentes de trabalho.

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) investigou 108 acidentes de trabalho mortais e 234 acidentes com feridos graves nos dez primeiros meses do ano, foi hoje divulgado pela ACT, que reafirmou a prioridade da prevenção da sinistralidade laboral.

“Reduzir o número de acidentes em contexto laboral, como via de assegurar um emprego digno, seguro e saudável, é determinante”, afirmou a autoridade numa nota de imprensa em que reafirma que a prevenção dos “acidentes de trabalho continua a ser um dos eixos prioritários da ACT”.

A ACT encerra na quinta-feira no Porto a ‘Campanha Ibérica de Prevenção de Acidentes de Trabalho’, que promoveu com a sua congénere espanhola durante dois anos.

Segundo a ACT, em 2017 morreram 119 trabalhadores e 382 ficaram feridos na sequência de acidentes de trabalho.

“Como meio de travar estes números dramáticos, em 2016 nasceu a Campanha Ibérica de Prevenção de Acidentes de Trabalho que encerra agora”, afirmou a autoridade, na véspera de divulgar o balanço dos dois anos de campanha.

A ACT divulgará ainda “os passos futuros para a prossecução do objetivo central da campanha”, que é a redução da sinistralidade laboral, implementando no mundo laboral e na sociedade civil “uma verdadeira cultura de prevenção”.

A campanha ibérica, que envolveu “um conjunto muito vasto de parceiros”, levou à realsocização de um conjunto de atividades que tinham como objetivo a redução da sinistralidade laboral preconizada na Estratégia Nacional para a Segurança e Saúde no Trabalho 2015/2020 e na Estratégia Espanhola de Segurança e Saúde no Trabalho.

Ler mais
Recomendadas

ASAE apanha talhos a vender carne falsificada e estragada

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

“Insulto covarde e indigno”. Sócrates reage às acusações de Patrick Monteiro de Barros sobre Berardo

Em reação à entrevista do ex-acionista do Grupo Espírito Santo ao Jornal Económico, o ex-primeiro-ministro nega que tenha tido “relações pessoais ou sociais próximas com Joe Berardo” nem ter discutido ou intervindo “em concessões de crédito da Caixa Geral de Depósitos a empresas dele”.

Licenciado e com menos de 30 anos? Acabam hoje as inscrições para inspetor da Polícia Judiciária

A PJ está a admitir 100 candidatos para o curso de formação de inspetores estagiários.
Comentários