Adiada novamente na AR votação da lei que regula plataformas eletrónicas de transporte

Há 15 dias, o PS já tinha adiado potestativamente para hoje a discussão e votação na especialidade da proposta de lei do Governo, dos projetos de lei do PSD e do Bloco de Esquerda, bem como as propostas de alteração apresentadas por PS, CDS-PP e PCP, com o intuito de alcançar um “texto de substituição” e o “acordo” do maior número possível de grupos parlamentares.

O PCP adiou hoje potestativamente para quarta-feira a votação na especialidade da regulamentação das plataformas eletrónicas de transporte de passageiros, depois de PSD e PS terem entregue no início da reunião da Comissão de Economia propostas de alteração.

Há 15 dias, o PS já tinha adiado potestativamente para hoje a discussão e votação na especialidade da proposta de lei do Governo, dos projetos de lei do PSD e do Bloco de Esquerda, bem como as propostas de alteração apresentadas por PS, CDS-PP e PCP, com o intuito de alcançar um “texto de substituição” e o “acordo” do maior número possível de grupos parlamentares.

No início da reunião de hoje, o deputado do PCP Bruno Dias questionou o presidente da comissão sobre se tinham dado entrada novas propostas sobre o assunto, tendo Hélder Amaral (CDS-PP) revelado que tinha acabado de receber propostas de alteração de PS e PSD, em separado.

Recomendadas

Índices de Aceitação e de Oposição: PS votou a favor de mais diplomas do PSD do que do PCP

Plataforma Hemiciclo acaba de lançar uma nova funcionalidade: os Índices de Aceitação e de Oposição que registam o número de vezes que uma determinada bancada parlamentar votou a favor ou contra diplomas de cada uma das outras bancadas. Entre os dados compilados destacam-se algumas surpresas.

Santana quer Aliança entre “maiores partidos e aumentar “mercado eleitoral” do centro-direita

“Se tiver no mercado eleitoral, em vez de duas ofertas, três ofertas válidas, há condições para esse espaço político conseguir mais votos do que só com duas”, garantiu Pedro Santana Lopes.

Rui Rio diz que “não ficaria surpreendido” com a recondução de Joana Marques Vidal

Líder do PSD salienta que tem feito “um esforço muito grande não pela não politização, mas pela não partidarização” da nomeação para a Procuradoria-Geral da República.
Comentários