Agência Abreu antecipa reembolsos de milhões das viagens canceladas por causa do Covid

A Abreu decidiu encurtar o tempo legal e avançar com o processo de reembolsos que envolve cifras de dois dígitos em milhões de euros. A obrigatoriedade legal apontava para janeiro de 2022, mas a Agência Abreu está a antecipar o pagamento de reembolsos aos seus clientes já para os próximos dias.

A Agência Abreu está a antecipar, em oito meses, o pagamento dos reembolsos aos clientes que não tiveram oportunidade de usufruir das viagens adquiridas no princípio de 2020, quando o mundo assistiu ao início da pandemia provocada pela SARS-COV-2, diz a agência de viagens em comunicado.

A Abreu decidiu encurtar o tempo legal e avançar com o processo de reembolsos que envolve cifras de dois dígitos em milhões de euros, “após um ano, em que o cliente teve de lidar com esta realidade e aguardar pela possibilidade de viajar novamente ou pela devolução do valor investido nas viagens que não realizou”.

A obrigatoriedade legal apontava para janeiro de 2022, mas a Agência Abreu está a antecipar o pagamento de reembolsos aos seus clientes já para os próximos dias.

“A operação já está em marcha e envolve um grande esforço por parte dos Consultores de Viagens, atualmente a ultimar o processo de contacto com milhares de clientes portugueses de modo a proceder à devolução dos pagamentos”, diz a Abreu.

Nos últimos dias foram efetuados dezenas de milhares de contactos, por vias telefónica e digital, no sentido de informar os clientes desta decisão de antecipação, e de recolher os dados e autorizações necessários para procedimento das transferências bancárias, explica a Abreu.

“Queremos dizer aos nossos clientes que, tal como há mais de 180 anos, a confiança na nossa empresa e serviços é dos fatores que mais valorizamos e esta é a postura que pretendemos manter”. Pedro Quintela, Diretor de Vendas e Marketing da Agência Abreu, adianta que “depois de 12 meses em que se viveram momentos inéditos e conturbados é tempo de, gradualmente, retomar as nossas vidas à medida que o desconfinamento e o processo de vacinação avançam”. Fica agora o sentimento de dever cumprido perante aqueles que são a nossa maior prioridade: os nossos clientes”.

 

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumTK Elevator sucede a ThyssenKrupp com 400 profissionais em Portugal

Independente desde 31 de julho de 2020, a empresa conta com uma carteira de 1,4 milhões de elevadores e escadas mecânicas no mercado nacional. Ricardo Malheiro, CEO da TK Elevator, explica ao JE o impacto da pandemia na atividade da empresa.

Depois da polémica com barragens, Governo anuncia investimentos de 90 milhões em Trás-os-Montes

O ministro do Ambiente anunciou investimentos – financiados pelo Orçamento do Estado, fundos europeus e Fundo Ambiental – para os 10 municípios transmontanos onde ficam localizadas as barragens vendidas pela EDP a um consórcio francês. Movimento Terras de Miranda tem exigido o pagamento de 110 milhões de euros em imposto de selo por esta transação no valor de 2,2 mil milhões de euros.
Supremo Tribunal de Justiça

Supremo indemniza maquinista da MTS despedido após levar filha na cabina

Relação de Lisboa já tinha defendido que responsabilidades parentais do trabalhador divorciado se sobrepunham aos direitos da concessionária do metro de superfície em Almada e no Seixal. Segue-se cálculo do valor a pagar a quem foi despedido por nove faltas consideradas injustificadas.
Comentários