Agências de viagens de Cabo Verde consideram que Taxa de Segurança Aeroportuária beneficia grandes emissoras de turistas

“É convicção da AAVTCV e seus associados que, assim como está, a maioria das agências de viagens cabo-verdianas não estarão em condições de beneficiar da mesma”, alerta a Associação das Agências de Viagens de Cabo Verde.

A Associação das Agências de Viagens de Cabo Verde (AAVTCV) considera que Taxa de Segurança Aeroportuária (TSA), que entrou em vigor a 1 de janeiro, vai beneficiar essencialmente as grandes agências emissoras de turistas. Num comunicado enviado aos órgãos de comunicação social, a associação aponta que encara com normalidade a entrada em vigor da TSA, mas que são as grandes agências emissoras de turistas a receber os dividendos.

“É convicção da AAVTCV e seus associados que, assim como está, a maioria das agências de viagens cabo-verdianas não estarão em condições de beneficiar da mesma”, uma vez que a maioria das agências existentes em Cabo Verde “não funcionam propriamente como agências de turismo (…). O que equivale dizer que este novo quadro deverá beneficiar essencialmente as grandes agências emissoras de turistas”.

Apesar da reclamação de serem as grandes agências emissoras de turistas a receber os dividendos da TSA, a AAVTCV encara com normalidade a entrada em vigor da nova taxa. Na mesma nota, a associação aponta um conjunto de medidas que está a tomar para a “médio e longo prazo” criar as condições favoráveis para os seus associados beneficiar deste novo quadro de regulamentação da entrada de turistas e estrangeiros em Cabo Verde.

Como alternativa para ultrapassar a situação, a associação aponta a implementação de “um programa de fomento empresarial e que possa ajudar as agências nesta necessária modernização e ampliação dos seus negócios e poderem assim acompanhar a evolução do mercado”.

Dentro dessa estratégia, a AAVTCV refere que já foram estabelecidos contactos com “a congénere de Macau para uma forte parceria e que inclui formação dos seus quadros associados, como também uma representação da AAVTCV, e também conseguir uma melhor promoção do destino Cabo Verde junto desta e outras regiões chinesas.

Com a embaixada russa em Cabo Verde, a AAVTCV afirma que está a pôr de pé uma estratégia de comunicação virada para os operadores e turistas russos e com o Turismo de Portugal para “trazer mais negócios para os pequenos operadores do ramo em Cabo Verde”.

As reclamações da AAVTCV surgem na sequência da parceria entre o governo e a Câmara de Comercio de Turismo de Cabo Verde (CTCV), que atribui às agências de viagens autorização de efetuarem a inscrição colética de turistas na plataforma online de viajantes (www.ease.gov.cv.). Para a prestação deste serviço, as agências de viagens vão receber seis euros do Estado para cada inscrição feita na plataforma.

Ler mais
Relacionadas

Turistas europeus já podem viajar para Cabo Verde sem visto

As novas regras da Taxa de Segurança Aeroportuária também entraram em vigor. O valor da TSA é de 30 euros nos voos internacionais e cerca de um euro e meio nas viagens domésticas.

Respostas rápidas: Governo cria Taxa de Segurança Marítima. Sabe quanto vai pagar?

Depois de anunciar a Taxa de Segurança Aeroportuária, o Governo acaba de aprovar uma portaria que cria a taxa de segurança marítima (TSM). Veja como vai funcionar.
Recomendadas

Cabo Verde aprova programa com 5 milhões de euros para combate à seca e mau ano agrícola

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que o valor será distribuído por três áreas: pecuária e manutenção da capacidade produtiva com cerca de 882 mil euros, mobilização da água e a sua gestão 2 milhões de euros e criação de emprego 2,1 milhões euros.

Governo de Cabo Verde cria fundo soberano de 90 milhões de euros

Com a constituição deste mecanismo, o executivo pretende, segundo o ministro das Finanças cabo-verdiano, alavancar os grandes projetos das empresas locais com dificuldades de encontrar financiamento junto da banca.

José Maria Neves admite “forte possibilidade” de se candidatar a Presidente de Cabo Verde em 2021

O antigo primeiro-ministro cabo-verdiano pondera concorrer, dentro de dois anos, às eleições presidenciais.
Comentários