AICCOPN promove debate sobre novo regime de requalificação de edifícios

Manuel Reis Campos, presidente da associação, presidirá à sessão de abertura do seminário que se vai realizar hoje, dia 28 de novembro, no Porto.

A AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e das Obras Públicas vai debater hoje, dia 28 de novembro, o novo regime de requalificação dos edifícios, num seminário que irá decorrer na sede da associação, no Porto.

Este seminário é uma iniciativa promovida pela AICCOPN, pela FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, pelo Instituto da Construção e pelo Laboratório de Física das Construções, tendo como objetivo visa apresentar as principais alterações introduzidas pelo novo regime.

“Em debate estarão os princípios fundamentais da reabilitação de edifícios e frações autónomas e as alterações introduzidas nos domínios regulamentares das exigências funcionais, acessibilidade, segurança estrutural, segurança contra incêndios, comportamento acústico e comportamento térmico e eficiência energética”, destaca um comunicado da AICCOPN.

O presidente da AICCOPN, Manuel Reis Campos, integra, juntamente com Raimundo Mendes da Silva, coordenador do ‘Projeto Reabilitar como Regra’, e Vasco Peixoto de Freitas, Diretor do LFC/FEUP, a sessão de abertura do evento.

Os restantes painéis contam ainda, para além dos oradores já referidos, com as intervenções de Miguel Gonçalves, professor da FEUP e especialista SCIE (segurança contra incêndios em edificios); Humberto Varum, professor da FEUP e especialista em Estruturas; e Rui Calejo, professor da FEUP e especialista em Acústica.

Recvorde-se que “o Decreto-Lei n.º 95/2019, de 18 de julho, estabeleceu o regime aplicável à reabilitação de edifícios ou frações autónomas”, snedo de notar que que “o novo regime operou uma revisão do enquadramento legal da construção, com vista a adequá-lo às exigências e especificidades da reabilitação de edifícios”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

IP adjudica empreitada da linha do Oeste a consórcio liderado pela construtora Gabriel Couto

Obra foi adjudicada por um montante de 61 milhões de euros e deverá estar concluída em 2023.

Covid-19: Paragem da construção vai gerar perdas de 1,8 mil milhões

Os presidentes da AICCOPN e da AECOPS, respetivamente, Manuel Reis Campos e Ricardo Pedrosa Gomes, alertam que num cenário de paralisação das obras, o setor nacional da consrtrução sofrerá um impacto desastroso nas empresas e nos postos de trabalho que assegura.

Covid-19: cancelamento de 680 eventos coloca em risco dois mil empregos

De acordo com a AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e das Obras Públicas, presidida por Reis Campos, o impacto do Covid-19 já originou o cancelamento de mais de 680 eventos, colocando dois mil postos diretos de trabalho em risco e ameaça atividade que fatura 300 milhões por ano.
Comentários