AIP quer exportações a pesar 80% no PIB português

O projeto PME Connect, lançado pela Associação Industrial Portuguesa (AIP) e a Deloitte, visa incentivar a internacionalização das empresas para que, dentro de alguns anos, as exportações pesem cerca de 80% no Produto Interno Bruto (PIB) português.

O projeto PME Connect, lançado pela Associação Industrial Portuguesa (AIP) e a Deloitte, vai pôr cinco grandes players da economia nacional a apoiarem diretamente a internacionalização de cerca de 200 pequenas e médias portuguesas (PME). A AIP e a Deloitte querem incentivar a internacionalização das empresas para que, dentro de alguns anos, as exportações pesem cerca de 80% no Produto Interno Bruto (PIB) português.

O objetivo da AIP e Deloitte é criar uma rede institucional forte, que esteja presente, não só na Europa, mas também em outros mercados internacionais, de forma a incentivar a internacionalização da economia portuguesa. A este projeto juntaram-se a EDP, Sonae, Mota-Engil, Pestana e Tekever, que durante terão como missão ajudar as PME portugueses a exportarem para diferentes mercados internacionais, em setores como a energia, turismo, construção, retalho, defesa e IT.

“Queremos que os grupos fortemente industrializados tirem valor deste projeto e sirvam de alavanca ou porta-aviões para a internacionalização das PME”, explicou o diretor do Departamento de Economia e Inovação da AIP, Paulo Caldas, esta terça-feira, na apresentação do evento Open Days PME Connect. “Queremos ter uma internacionalização sustentada e criar dimensão na economia portuguesa e sustentabilidade. O PME Connect é pioneiro nisso”.

Paulo Caldas lembra que, entre as cerca de 460 mil empresas que existem em Portugal, apenas 23 mil exportam. Dessas, mais de 85% exportam com um volume de negócios inferior a 1 milhão de euros e 78% exportam apenas para um mercado. Tendo em conta estes números, a AIP e a Deloitte querem motivar a aprendizagem das PME com as empresas que triunfaram nos mercados internacionais e se fomente a “passagem de testemunho” de forma a pôr a economia portuguesa a crescer mais.

“Não estamos satisfeitos com o facto de as exportações pesarem apenas 44% no PIB português. A nossa ambição é que as exportações pesem quase 80% no PIB português”, afirmou Paulo Caldas. “Numa economia aberta como a nossa e com necessidade de escalar, o nosso país precisa de ter este objetivo, até porque as empresas portuguesas têm muito valor”.

Ao longo de três dias, entre 20 e 22 de fevereiro, a AIP e a Deloitte promovem os Open Days PME Connect, em parceria com a Casa da América Latina (CAL), da Ordem dos Economistas e da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), onde estarão presentes mais de 80 oradores, que vão falar sobre as suas experiências e as oportunidades de internacionalização para as PME.

No âmbito do projeto PME Connect, a AIP e a Deloitte vai ainda realizar, em março, uma viagem a um país da América Latina para “exemplificar os protocolos institucionais entre as câmaras de comércio e as embaixadas que podem potenciar a cooperação entre as grandes empresas e as PME”. Em abril, a AIP e a Deloitte vão também apresentar, junto da Compete e da AICEP, um projeto conjunto de internacionalização.

Esta é a primeira vez que um projeto que se procura que a experiência internacional e as redes das grandes empresas portuguesas no exterior sejam aproveitadas e potenciadas pelas PME nacionais. Ao todo, este projeto vai abranger cerca de 200 PME e vai incidir sobre mais de uma dezena de países. Estão previstas também várias missões internacionais e a assinatura de vários protocolos institucionais.

Ler mais
Recomendadas

“Dados pessoais podem ser um produto tóxico para quem incumpra com o RGPD”

Até 2020 vai entrar em vigor o Regulamento e-Privacy e o Código das Comunicações Eletrónicas, o que irá obrigar as empresas a novos ajustes e alterações.

Sérvulo estabelece parceria com sociedade de advogados em Cabo Verde

A MJN Advogados, de Maria João de Novais, é o novo escritório parceiro da Sérvulo & Associados.

Conselho Regional vai deixar de ser “suporte do bastonário”

A advogada Ana Sofia de Sá Pereira, que tem tudo preparado para avançar com uma candidatura ao Conselho Regional do Porto, apoia uma eventual candidatura de António Jaime Martins contra Guilherme Figueiredo.
Comentários