Albuquerque & Almeida assessorou venda do negócio de voz internacional da Altice à empresa Tofane

Outras sociedades portuguesas que estiveram envolvidas nesta venda foram a Gomez Acebo e a VdA (Vieira de Almeida).

Albuquerque & Almeida, que resulta da associação das sociedades de advogados Albuquerque & Associados e Paulo Almeida Associados, foi responsável por assessorar a venda à empresa francesa Tofane Global do negócio de voz internacional em França, na República Dominicana e em Portugal da Altice.

O grupo Altice anunciou que a venda do seu negócio grossista internacional de voz aos franceses da Tofane Global. A venda inclui o negócio em Portugal.

O negócio foi anunciado em março e teve agora, em setembro, o desfecho, e contou com a assessoria, do lado dos bancos da Albuquerque & Almeida, que esteve a assessorar a Hogan Lovells (que é uma firma de advocacia internacional sediada em Londres e Washington).

Para António Mendonça Raimundo, sócio da Albuquerque & Almeida, esta foi “uma operação que correu dentro do esperado. Uma operação de grande dimensão e impacto na qual a participação da Albuquerque & Almeida foi um desafio”.

“Esta aquisição da Tofane é o primeiro passo na estratégia da referida empresa para lançar uma transportadora líder de nível 1 em comunicações internacionais. A receita é estimada em  400 milhões de euros por ano”, diz o comunicado dos advogados.

Outras sociedades portuguesas que estiveram envolvidas nesta venda foram a Gomez Acebo e a VdA.

Ler mais
Recomendadas

Inteligência Artificial: ‘in or out’?

Porque não trabalhamos juntos e assinalamos no mapa a prestação de serviços jurídicos “made in Portugal”?

PremiumLuís Marques: “Devemos contar que a carga fiscal continue à volta dos 35% do PIB”

Luís Marques, ‘partner’ e Tax Leader da EY, entende que Governo não tem margem para descer impostos. Aplaude as medidas para reduzir a fatura da luz e novas regras na tributação das horas extra – e diz que falta a redução do IRC.

Advogados vão pagar menos quotas em 2019

A proposta que estipula a alteração do regulamento das quotas dos advogados e a sua redução em cerca de 1,2 milhões de euros foi aprovada pela assembleia-geral extraordinária da Ordem dos Advogados.
Comentários