Albuquerque: Binter poderá não estar a voar porque a República não finalizou o contrato com a companhia

Madeira já pediu informações sobre o contrato de concessão à Binter que, segundo o presidente do Governo, poderá estar ainda no Tribunal Constitucional.

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, disse esta sexta-feira que a Binter poderá não estar a voar para o Porto Santo por causa de uma atraso na celebração do contrato por parte do Governo da República.

“Penso que o ajuste direto acabou na quarta feira e que a companhia sem o contrato na mão estava relutante em voar. Neste momento, temos esta situação desastrosa: já foram cancelados 12 voos e ninguém comunica nada a ninguém”, afirmou Albuquerque.

O líder do Executivo madeirense adianta ter pedido informações sobre as condições da concessão à companhia aérea espanhola. “Ao que parece o contrato ainda está no Tribunal Constitucional”, declarou.

Albuquerque lamenta a falta de resposta, quer da Binter, quer do ministro do Planeamento, Pedro Marques, a uma carta enviada na quarta-feira, onde eram pedidas explicações sobre os cancelamentos.

“Mais um vez o Governo da República foi negligente. Abriu o concurso muito tarde, apesar de termos fornecido os elementos necessários à abertura do concurso em 2016, foram adiando… esta é mais  mais uma demonstração de como este Governo trata a Madeira”, lamentou.