Albuquerque destaca dimensão arquipelágica de Portugal e que o país deve tirar proveito da sua plataforma continental

O presidente do Governo Regional disse ainda que o país deve ter uma estratégia de futuro para a sua plataforma continental e utilizar o mar em benefício das próximas gerações.

Na apresentação da exposição de azulejos ‘Vida e Alma Porto-Santense, o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, destacou a plataforma continental como sendo uma das maiores riquezas de Portugal e que a nação tem na plataforma uma grande riqueza apelando a que tem o país utilize o mar em benefício as próximas gerações.

Nesta visita ao Porto Santo, que inclui a passagem pela exposição de azulejos Vida e Alma Porto-Santense, o líder do executivo referiu que a política portuguesa sempre foi uma “política atlântica” acrescentando que o que dá hoje uma dimensão importante ao país é “a sua dimensão arquipelágica”.

“O Porto Santo é a primeira matriz da política atlântica portuguesa”, afirmou.

Nesse sentido Albuquerque reforçou que para além das pessoas “a grande riqueza” do país está na sua plataforma continental que “é das mais importantes do mundo” vincando que esta deve ter “uma estratégia de futuro”.

“Portugal tem no mar um dos principais recursos que deve saber utilizar em benefício das próximas gerações”, apelou.