Alemanha e Espanha defendem “distribuição justa” de migrantes e refugiados

Pedro Sánchez e Angela Merkel tiveram este sábado um almoço de trabalho em Sanlúcar de Barrameda, província de Cádiz), durante o qual discutiram uma aliança estratégica para enfrentar o desafio migratório na União Europeia.

O chefe de Governo espanhol e a chanceler alemã, reunidos este sábado na Andaluzia, defenderam uma “distribuição justa” dos migrantes e refugiados e prometeram apresentar uma visão comum na próxima cimeira da União Europeia.

Pedro Sánchez e Angela Merkel tiveram este sábado um almoço de trabalho em Sanlúcar de Barrameda, província de Cádiz), durante o qual discutiram uma aliança estratégica para enfrentar o desafio migratório na União Europeia.

“Nenhum país pode sacudir a água do capote. É um desafio para todos”, disse a chanceler alemã, citada pelo jornal espanhol El Mundo.

Os dois líderes já tinham chegado a um acordo, que entra este sábado em vigor, no qual Espanha se compromete a acolher de volta os migrantes registados no seu território, mas que conseguem entrar depois na Alemanha, através da fronteira com a Áustria.

A Alemanha tem tentado fazer acordos bilaterais para parar a migração secundária em direção ao seu território, mas ainda só o conseguiu fazer com Madrid. As negociações com os governos de Grécia e Itália prosseguem.

Sánchez e Merkel anunciaram uma posição comum e um apoio mútuo à gestão dos fluxos migratórios, numa aliança a que juntam França e Portugal.

Segundo o El Mundo, Sánchez conseguiu o apoio expresso de Merkel para a que a União Europeia reforce a ligação com Marrocos (origem da maioria dos migrantes que chegam à costa espanhola), estabelecendo acordos e oferecendo apoio económico para controlo das fronteiras.

Os dois países comprometeram-se a “intensificar o diálogo e a cooperação com os países de origem e de trânsito” de migrantes e refugiados, “principalmente com Marrocos”, disse Sánchez, citado pela agência AFP.

“Catorze quilómetros separam a costa de Espanha – e, consequentemente, a Europa – do Norte de África, mas há uma distância infinitamente maior em termos de desenvolvimento”, declarou o chefe do Governo espanhol.

“Reduzir a profundidade desse abismo de desigualdade deve ser uma das principais tarefas da União Europeia”, sustentou.

Este foi o segundo encontro bilateral entre Sánchez e Angela Merkel, com o objetivo concertar estratégias para a cimeira europeia agendada para o próximo mês, em Salzburgo, na Áustria.

Ler mais
Relacionadas

Espanha ultrapassa Itália como porta de entrada de imigrantes na Europa

Mais de 22 mil imigrantes chegaram a Espanha durante os primeiros sete meses do ano, o que coloca o país à frente da Itália.

Respostas Rápidas: o que é o novo projeto de Bruxelas para os imigrantes?

Com o fim do regime de quotas na distribuição dos imigrantes pela Europa, a Comissão quer ‘incentivar’ o novo regime de voluntariado. O plano será hoje discutido em Bruxelas.
Recomendadas

Theresa May pondera demitir-se antes das eleições de 2022

Fontes próximas da primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmam que a líder do Partido Conservador pondera deixar o cargo ainda antes das próximas eleições legislativas no Reino Unido.

Michael Cohen, ex advogado de Trump, condenado a três anos de prisão

O antigo advogado de Trump, Michael Cohen, foi, esta quarta-feira, condenado a três anos de prisão, num tribunal em Nova Iorque, EUA. Estão em causa múltiplos crimes, incluindo mentir ao Congresso sobre um possível acordo negocial com Trump em Moscovo e comprar o silêncio de mulheres que acusaram Donald Trump de assédio sexual.

Governo angolano rescinde contratos de exploração de diamantes

“Foi aprovada há já algum tempo a política para a protecção de diamantes, que tem como fundamento primeiro a eliminação do monopólio da comercialização de diamantes brutos que existia no país”, explicou o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, Diamantino de Azevedo.
Comentários