PremiumAlexander Gorbunov: O russo que se atreve a desafiar Putin por não ter nada a perder

Autor do blogue “StanlinGulag”, muito critico do Kremlin e da sociedade russa, é um dos nomes mais odiados por Putin. Confinado a uma cadeira de rodas para o resto da vida, garante que quer aproveitar ao máximo o tempo que lhe resta.

Atacar Vladimir Putin não é para todos: mesmo a prisão pode ser uma bênção se tivermos em conta a possibilidade de ser envenenado por plutónio, VX ou Sarin. Isto se tivermos em conta que já se registaram casos de ex-espiões que morreram desta forma e as suspeitas caíram sobre o governo russo. Alexander Gorbunov não é espião, mas é um dos críticos mais ferozes do Kremlin e parece não ter medo. Confinado a uma cadeira de rodas para o resto da vida, tem mais de um milhão de seguidores no Twitter e 500 mil num canal privado chamado Telegram.

Só em maio deste ano revelou a sua identidade, depois e da polícia russa ter feito buscas na casa dos pais. A tática do medo resultou e o jovem, de 27 anos, foi forçado a deixar o anonimato. É que até esse momento, o autor do blogue ‘StanlinGulag’ nunca tinha revelado o nome, a idade, o local de origem e a cidade onde reside. “Eu sou ‘StalinGulag’ e já não sou anónimo” escreveu na rede social Twitter.

Artigo reservado a assinantes do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Artigo publicado na edição nº1999 de 26 de julho de 2019, do Jornal Económico.

Recomendadas

PremiumSteve Easterbrook: Relação amorosa pôs fim a décadas de dedicação aos hambúrgueres

As regras criadas para evitar casos de assédio sexual puseram fim à carreira fulgurante de um gestor britânico que era adolescente quando descobriu o prazer de comer batatas fritas e batidos num restaurante McDonald’s e acabou por subir a presidente e CEO da empresa.

Premium“Overdose” de horas de trabalho tem efeito nocivo para Portugal

Horários de trabalho prolongados não fazem apenas mal à saúde. São também prejudiciais para a economia, pois inibem a inovação e a melhoria da gestão nas empresas. O economista José Tavares, da Universidade Nova, põe o dedo na ferida: “Estamos viciados em horas extraordinárias. Se as horas extraordinárias fossem uma droga leve, Portugal estaria em ‘overdose’ há décadas.”

PremiumAlina Donets: “Mudanças climáticas estão a afetar os recursos hídricos”

A gestora do Global Water Fund da seguradora Allianz reconhece que existem indícios de que os padrões climáticos estão a mudar, o que tem consequências nos recursos hídricos disponíveis. Ainda sem investimentos em empresas portuguesas, Alina Donets recomenda alterar hábitos de consumo e a via da dessanilização.
Comentários