Altice/Media Capital: Michel Combes “surpreendido” com pressão “orquestrada por concorrentes”

Michel Combes afirmou que a “Altice tem plena confiança no processo e nas instituições regulatórias portuguesas”.

Cristina Bernardo

presidente executivo da Altice disse hoje à Lusa ter “plena confiança” no processo de compra da Media Capital e nos reguladores portugueses e manifestou-se “surpreendido com “a pressão indevida e infundada orquestrada” pelos concorrentes.

Instado pela Lusa a comentar o processo de compra da Media Capital, Michel Combes afirmou que a “Altice tem plena confiança no processo e nas instituições regulatórias portuguesas”.

“Confiamos que as decisões serão assentes em factos e méritos”, prosseguiu numa nota escrita em inglês.

“Francamente, ficámos surpreendidos com a pressão indevida e infundada orquestrada pelos nossos concorrentes junto dos reguladores e pelas insinuações públicas”, salientou.

Enquanto dono de empresas de media e novos negócios “altamente respeitados em França, nos Estados Unidos e em Israel, temos uma longa história de independência editorial e um compromisso com a qualidade”, concluiu o presidente executivo.

Recomendadas

Inquérito/Energia: Pedro Rezende disse que Manso Neto assumiu a negociação dos CMEC pela EDP

Segundo o antigo administrador, à época, “toda a gente”, começando na Comissão Europeia, passando pelos diferentes governos e operadores, “acreditava firmemente que a liberalização do mercado ia descer os preços” da energia.

Lesados do BES: “Há centenas de queixas e o Ministério Público não dá seguimento”

Em declarações à Lusa, António Silva, um dos porta-vozes do grupo, garantiu que os lesados avançaram com queixas na justiça contra gerentes do antigo BES, mas não estão a ver resultados.

Associação de lesados do Banif espera solução até final de dezembro

Entre os lesados estão cerca de 3.500 obrigacionistas, grande parte das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, mas também das comunidades portuguesas na África do Sul, Venezuela e Estados Unidos, num total de perdas de 263 milhões de euros.
Comentários