Aluno da Universidade de Lisboa vence ‘Law and Technology Award’ da Abreu Advogados

Luís Barreto Xavier, consultor para a Inovação deste escritório de advogados, afirma que quiseram “começar por procurar quem tivesse este perfil de curiosidade e vontade de ir além do óbvio”.

Telmo Miller

João Marques Pinto é o vencedor da primeira edição do ‘Law and Technology Award’, promovido pela Abreu Advogados, um concurso lançado em 2018 para incentivar o interesse dos estudantes de Direito pela relação entre os temas jurídicos e a tecnologia.

O desafio foi dirigido aos finalistas da licenciatura em Direito e licenciados que frequentam mestrado ou LL.M. (Master of Laws). Os participantes tiveram de submeter um trabalho em que respondiam à questão: “Na era das redes sociais e das grandes empresas tecnológicas, será possível proteger a privacidade?”.

O texto premiado aborda a importância crescente do controlo da privacidade e a criação de novas regras, ponderando as condições para a implementação de um nível perfeito de privacidade que “em excesso, pode estrangular a economia e promover a cibercriminalidade” e “em défice, nega um direito fundamental para o desenvolvimento da personalidade humana”.

Luís Barreto Xavier, consultor para a Inovação do escritório liderado por Duarte d’Athayde, afirma que quiseram “começar por procurar quem tivesse este perfil de curiosidade e vontade de ir além do óbvio”.

Graças à vitória, João Marques Pinto, estudante da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, terá acesso a um estágio profissional na Abreu Advogados e a um prémio monetário no valor de 1.000 euros.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal já assinou contratos superiores a 3,3 milhões de euros com advogados em 2019

Pagamento de três milhões de euros à Gonçalves Pereira ainda fica aquém do valor que o banco central se comprometeu a pagar no ano passado à Vieira de Almeida & Associados.

Suborno, corrupção e o retrato de Dorian Gray

No que à gestão diz respeito este não é um tema menor, alheio aos deveres de um gestor diligente, porque também na gestão deste risco “a sorte não existe. Aquilo a que chamas sorte é atenção aos detalhes”.

João Massano candidata-se a presidente do Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados

O advogado vai apoiar e integrar a candidatura de António Jaime Martins a bastonário. “A valorização do advogado, individualmente, e da advocacia, no seu todo, promove-se através da formação e da partilha de experiências multidisciplinares, que trazem à classe uma atualização dos temas e das questões legais que estão na ordem do dia”, defende.
Comentários