Alunos do secundário e superior regressam hoje ao ensino presencial e com rastreios

No ensino superior, apesar de grande parte dos estudantes continuar para já em casa, uma vez que as instituições preferiram privilegiar as aulas práticas e retomar, noutros casos, o regime de ensino misto, a realização dos testes rápidos de antigénio começou no dia 12 de abril.

Os alunos do ensino secundário e do superior regressam hoje às aulas presenciais, depois de quase três meses em casa, com rastreios à covid-19 que, nestes níveis de ensino, passam também a incluir os estudantes.

A reabertura das escolas secundárias e instituições de ensino superior faz parte da terceira fase do plano de desconfinamento do Governo, que arranca hoje e abrange todo o território nacional, incluindo os dez concelhos que não avançam para esta nova etapa.

Desde 22 de janeiro em casa, os alunos mais velhos regressam agora às aulas presenciais com medidas de segurança sanitária reforçadas, designadamente a realização de rastreios à covid-19.

No ensino superior, apesar de grande parte dos estudantes continuar para já em casa, uma vez que as instituições preferiram privilegiar as aulas práticas e retomar, noutros casos, o regime de ensino misto, a realização dos testes rápidos de antigénio começou no dia 12 de abril.

Neste caso, o programa de testagem resulta de uma parceira com a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), que disponibilizou na semana passada mais de 240 mil testes, e envolve estudantes, investigadores, docentes e não docentes.

Os rastreios continuam esta semana, estando previsto que as universidades e politécnicos recebam mais ‘kits’ da CVP sempre que o solicitem e a possibilidade de garantirem elas próprias “as condições adequadas para a realização de testes, e a formação de recursos humanos das próprias instituições que possam proceder à realização massiva dos testes”, segundo a tutela.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, vai acompanhar o regresso ao regime presencial no norte do país, passando pela Universidade do Porto, pelo Instituto Politécnico do Porto e pela Universidade de Aveiro.

No ensino secundário, o início dos rastreios coincide com o primeiro dia de aulas, como tem acontecido nos restantes níveis de ensino que já regressaram, e deverá prolongar-se até sexta-feira.

No entanto, ao contrário dos colegas mais novos, os estudantes do 10.º ao 12.º ano também serão testados à covid-19, além dos professores e funcionários.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, vão estar na Escola Secundária Padre António Vieira, em Lisboa, da parte da manhã para acompanhar o regresso às aulas presenciais.

Ler mais
Recomendadas

Erasmus+: 26 mil milhões para apoiar mobilidade estudantil

Apresentado pela Presidência Portuguesa da União Europeia, o novo Erasmus+ quase duplica o orçamento anterior. Inclusão, digital e sustentabilidade são as novas áreas de aposta. Portugal quer triplicar o número de beneficiários do programa em 2021|27.

António Sampaio da Nóvoa: “É difícil identificar um património mais importante do que a língua portuguesa”

Comemora-se esta quarta-feira o Dia Mundial da Língua Portuguesa. António Sampaio da Nóvoa, embaixador de Portugal na UNESCO, grande impulsionador desta proclamação, destaca em entrevista ao Jornal Económico o valor único deste património.

Metade dos jovens portugueses não distingue opinião de facto na Internet, conclui estudo da OCDE

“Menos de metade dos jovens não distingue factos de opiniões. Antes, os jovens liam na enciclopédia e sabia-se que o que estava lá escrito era verdade. Agora procuram informação na internet” alertou o diretor da OCDE para a Educação, Andreas Schleider.
Comentários