Amazon: ações podem chegar aos três mil dólares nos próximos dois anos, estima Bloomberg

A avaliação de três mil dólares por título implica uma capitalização bolsista de 1,47 mil milhões de dólares (1,31 mil milhões de euros).

As ações da empresa tecnológica Amazon podem atingir três mil dólares (mais de dois mil euros) durante os próximos dois ou três anos, segundo as previsões dos analistas da Piper Jaffray, revela a ‘Bloomberg’. Esta subida implica uma subida de 65% nas cotações atuais da empresa.

“Temos um grande grau de confiança que as ações da Amazon podem alcançar este nível sem aquisições de grande dimensão ou outras mudanças substanciais ao negócio”, afirmam os analistas.

Se esta avaliação de três mil dólares por título se concretizar, implica uma capitalização bolsista de 1,47 mil milhões de dólares (1,31 mil milhões de euros) – acima do patamar do mil milhão de dólares que a retalhista disputava com a gigante Apple. A empresa da maçã foi a primeira empresa norte-americana a tocar a fasquia de mil milhões de dólares.

A Amazon apresenta uma subida de 0,41% no preço das ações, sendo que já estão a cotar nos 1.822,94 dólares. A retalhista já chegou a subir quase 1,5% durante uma sessão. Desde janeiro, a empresa já valorizou 21,51% e tem uma avaliação de 898,5 mil milhões de dólares.

Caso a tendência se mantenha, este será o quinto ano de ganhos para a empresa de Bezos. Em 2015 as ações subiram 117,78%, enquanto em 2016 apresentaram uma subida perto dos 11%, acrescentando 55% em 2017 e 28% no ano passado.

Segundo os dados recolhidos pela Bloomberg, a Amazon tem 49 recomendações de compra. O preço-alvo aponta para 2.231 dólares, um valor acima do estimado pelos analista da Piper, cujo montante se fixava em 2.225 dólares.

Ler mais
Recomendadas

Valor gerido por fundos de investimento imobiliário cai 26 milhões de euros em julho

A Interfundos (13,1%), a Norfin (10,4%) e a Square AM (10,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em julho.

Bundesbank alerta que economia alemã pode estar a entrar em recessão

O Bundesbank, banco central alemão, alertou esta segunda-feira que a economia alemã, a maior da Europa, pode estar a recuar durante os meses de verão, depois da contração já registada no segundo trimestre, aumentando a possibilidade de entrar em recessão.

PremiumBanco ‘português’ na Costa do Marfim quer disputar liderança

O grupo BDK, que detém o Banque d´Abidjan, emprega na África do Oeste 532 pessoas, a que se juntam 28 em Lisboa. O banco tem quase metade da rede de balcões do líder no mercado, o Sociéte Generale.
Comentários