PremiumAmericana Oracle a caminho do parque da Lionesa, em Matosinhos

O centro empresarial continua a expansão. Depois de crescer a sul, agora vai aumentar para norte, com entrada direta para as rodovias estruturantes.

A Oracle, gigante norte-americano do setor da tecnologia e informática – que fatura cerca de 40 mil milhões de dólares por ano – é a próxima empresa a instalar-se no interior do complexo empresarial da Lionesa em Leça do Balio, arredores do Porto, confirmou ao Jornal Económico o CEO daquele ‘business hub’, Pedro Pinto. O grupo, que opera em território nacional através da Oracle Portugal, já está a proceder a obras de preparação das instalações, que vão ocupar uma área de cerca de mil metros quadrados.

A Oracle – que está no Top10 mundial das tecnológicas juntamente com a Apple, Samsung, Microsoft, Alphabet, IBM, Intel, Cisco Systems, Hon Hai e Facebook – tem vindo a estender a sua atividade a outras geografias e a segmentos mais inovadores da área tecnológica, depois de, apesar de manter um volume de negócios linear, ter visto os lucros descerem abruptamente (mais de 50%) nos três últimos exercícios.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Prepare a carteira. Vem aí (mais) um aumento nos combustíveis

A partir de segunda-feira, os combustíveis ficam novamente mais caros. Aumento é maior na gasolina, tanto nas cadeias de marca branca, como nas principais gasolineiras.

Dia da Propriedade Intelectual: Criei uma marca. O que posso fazer para a registar?

Os advogados do departamento de TMT & Propriedade Intelectual da sociedade CCA explicam o que fazer para registar uma marca. O primeiro passo? Verificar se preenche determinados requisitos para que o seu registo seja concedido. Comemora-se esta sexta-feira o Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

Caixa Geral está a vender Mercedes para atingir metas da recapitalização

Campanha de crédito “imbatível” está a chegar por email a clientes. Banco justifica com metas “extremamente exigentes”. E diz que não está a promover o endividamento, pois clientes acederiam na mesma a outras opções de financiamento do mercado.
Comentários