ANA diz que serviços mínimos não estão a ser cumpridos no aeroporto de Lisboa

De acordo com informações prestadas por fonte oficial da ANA à agência Lusa, o ritmo de abastecimento no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, é “insuficiente, em níveis bastante abaixo do estipulado para serviços mínimos”, provocando “restrições à operação”, disse hoje à Lusa a ANA Aeroportos.

Cristina Bernardo

A ANA, gestora aeroportuária nacional, garante que os serviços mínimos decretados pelo governo não estão a ser cumprido em relação ao abastecimento de combustíveis ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

De acordo com informações prestadas por fonte oficial da ANA à agência Lusa, o ritmo de abastecimento no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, é “insuficiente, em níveis bastante abaixo do estipulado para serviços mínimos”, provocando “restrições à operação”, disse hoje à Lusa a ANA Aeroportos.

Numa resposta escrita enviada à Lusa, a ANA – Aeroportos de Portugal informou que está a avaliar continuamente o impacto da greve dos motoristas no abastecimento de combustível nos aeroportos da sua rede.

O ritmo de abastecimento “insuficiente” verificado até agora já levou à implementação de restrições à operação, “nomeadamente na redução de abastecimento de aeronaves”, adianta a Lusa, citando a referida fonte da ANA.

A ANA reiterou ainda que “continuará a acompanhar de forma permanente a situação com o Governo, as empresas petrolíferas, as companhias aéreas e as empresas de ‘handling’” de forma a minimizar o eventual impacto da greve nos aeroportos.

Também em resposta ao jornal ‘Público’, fonte oficial da gestora aeroportuária destacou que “os aviões com partida do aeroporto Humberto Delgado em Lisboa estão a ser abastecidos com menos combustível”.

“A informação é dada pela empresa ANA, gestora do aeroporto, que diz ter sido forçada a reduzir o abastecimento de aeronaves porque os serviços mínimos não estão a ser cumpridos”.

“Pelo que estamos a observar, no aeroporto Humberto Delgado, o ritmo de abastecimento verificado até agora, é insuficiente, em níveis bastante abaixo do estipulado para serviços mínimos, tendo sido já implementadas restrições à operação, nomeadamente na redução de abastecimento de aeronaves”, lê-se num comunicado distribuído pela empresa, avança a mesma notícia do ‘Público’.

A mesma fonte oficial da ANA garantiu ao ‘Público’ que, até ao momento, não foi necessário cancelar voos com origem na capital portuguesa.

Ler mais
Relacionadas

Governo avança para a requisição civil. Anúncio será feito ao final da tarde

Primeiro-ministro abriu a ‘porta’ à implementação desta medida após a reunião com Marcelo Rebelo de Sousa. Anúncio oficial será feito ao final da tarde.

Requisição civil: o que é e quantas vezes o Governo recorreu a essa medida?

Primeiro-ministro já ‘abriu a porta’ à implementação da requisição civil tendo em conta o incumprimento de serviços mínimos. De que falamos quando se fala de uma requisição civil? Quanto vezes o Governo já recorrer a este instrumento?

“Poderemos ter danos irreversíveis”. Governo deve avançar para a requisição civil?

O Jornal Económico ouviu dois especialistas em legislação laboral que defendem que o Governo já tinha “bons argumentos jurídicos para sustentar a requisição civil” mesmo antes da greve ter início.

Greve dos Motoristas: ANTRAM quer requisição civil “urgente” por incumprimento dos serviços mínimos

A ANTRAM acusou os sindicatos de não estarem a cumprir os serviços mínimos na greve de motoristas e pede uma requisição civil “urgente”, disse esta segunda-feira o advogado André Matias de Almeida à Lusa.
Recomendadas

Hotel da Barrosinha abre portas em Álcacer do Sal num investimento de cinco milhões de euros

Dispondo de 37 quartos standard, que inclui um quarto totalmente adaptado para pessoas com mobilidade reduzida e oito quartos comunicantes, e ainda duas suites, o Hotel da Barrosinha aposta na proximidade ao ritmo da natureza.

Ministro do Ambiente afirma que processo do lítio em Montalegre é “cristalino”

João Pedro Matos Fernandes afirmou que “é óbvio” que os argumentos das populações são importantes, bem com os das autarquias”, e lembrou que durante a avaliação de impacto ambiental vai decorrer uma consulta pública.

Novo Banco confirma que a venda carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.
Comentários