Anacom e UEFA já preparam a final four da Liga das Nações

No início deste mês, a UEFA reuniu com a Anacom para iniciar a preparação dos pedidos de licenças necessárias à utilização de frequências, imprescindíveis para a realização do evento e para a sua transmissão televisiva para diversos países.

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) e a UEFA já se encontram a trabalhar para a preparação da final four da Liga das Nações, que será realizada no Porto e em Guimarães, entre 5 e 9 de junho.

Segundo o comunicado da Anacom, no início deste mês a UEFA reuniu com a entidade em Lisboa, para “começar a preparar os pedidos de licenças necessárias à utilização de frequências, imprescindíveis para a realização do evento e para a sua transmissão televisiva para diversos países”.

A Anacom estará também no terreno para monitorizar o espectro radioelétrico, e garantir assim, que “as redes e estações de radiocomunicações operam sem interferências prejudiciais à realização do evento”.

A entidade assume que a “ausência de interferências é fundamental para o sucesso deste evento de dimensão internacional no qual existe uma elevada concentração de ‘meios rádio’, nomeadamente dezenas de microfones sem fios e de auxiliares de monitorização auditiva (in-ears), emissores-recetores (walkie-talkies) para coordenação e gestão de operações, câmaras de vídeo sem fios, bem como as comunicações por satélite, de modo a que a transmissão do evento possa chegar aos vários países”.

Em qualquer uma destas situações a Anacom afirma que “é fundamental assegurar a correta utilização do espectro, sem constrangimentos e interferências, para que tudo possa funcionar nas melhores condições”.

Recomendadas

Sporting: “Exigências financeiras” de Bas Dost estão a impedir saída para o Eintracht Frankfurt

O clube de Alvalade diz que “já alcançou um princípio de acordo” com os alemães e que o jogador já informou o técnico Marcel Keizer que queria deixar os ‘leões’.

PremiumTáticas para contratar: da desestabilização ao custo zero

Não deveria valer tudo para contratar mas existem clubes especialistas em manobras de aquisição dos melhores talentos. Curiosamente, ou não, esses emblemas são campeões crónicos nas suas Ligas.

“No hóquei em patins, somos como a irredutível aldeia dos gauleses”

Luís Sénica, antigo selecionador nacional de hóquei em patins e presidente da Federação de Patinagem de Portugal, realçou ao Jogo Económico a resiliência da modalidade ao longo dos anos. “Somos como a irredutível aldeia dos gauleses”, realçou o líder federativo.
Comentários