PremiumAnglo-saxónicos dominam M&A em ano de recordes

Americanos e britânicos dominam assessoria a M&A, mas há duas firmas portuguesas que, em ano de OPA à EDP, caminham entre os gigantes mundiais: a Morais Leitão e a Serra Lopes, Cortes Martins.

O ano de 2018 está a assistir a novos recordes nas operações de fusões e aquisições (M&A) de empresas a nível mundial. Segundo dados da Thomson Reuters, durante os primeiros nove meses do ano tiveram lugar operações no valor de 3,3 biliões (trilions, em inglês) de dólares, o que representa o valor mais elevado de sempre, apesar de um ligeiro arrefecimento no terceiro trimestre, que se fez sentir também em Portugal. Uma grande parte deste bolo (44%) deve-se a mega deals de valor superior a cinco mil milhões de dólares e as grandes firmas anglo-saxónicas são quem mais tem tirado partido desta conjuntura favorável para o mercado da assessoria jurídica a M&A.

De acordo com a agência, em 2018 os setores de atividade mais ativos no M&A a nível mundial são a Energia (com 17% do total, em parte graças à OPA sobre a portuguesa EDP, no valor de 29 mil milhões de dólares), Saúde (11%), Tecnologia (11%), Indústria (10%), Financeiro (9%), Imobiliário (9%), Media e Entretenimento (8%) e Materiais (7%).

As firmas que lideram a assessoria a estas operações são sobretudo sociedades americanas e britânicas cujo poderio assenta nos 200 anos que Londres e, mais tarde, Nova Iorque, contam como principais centros financeiros globais. Os dados da Thomson Reuters são esclarecedores a este respeito: dos dez escritórios mais ativos na assessoria a M&A a nível mundial, tanto em número de operações como em valor, não se encontra uma única sociedade que não seja anglo-saxónica. Seis são sediadas em Nova Iorque, uma em Los Angeles e três em Londres.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Branqueamento de capitais em debate esta quinta-feira

O Observatório Português de Compliance e Regulatório (OPCR) promove esta quinta-feira, 23 de maio, a terceira Conferência Internacional sobre Prevenção e Deteção do Branqueamento, numa iniciativa que conta com o apoio do Jornal Económico, como ‘media partner’. Ana Gomes será uma das oradoras.

Recebeu uma multa rodoviária e não concorda? Advogados ajudam a contestar

A sociedade CRS Advogados lançou uma plataforma online. Basta enviar os dados e a contraordenação. A análise jurídica é gratuita e, depois, recebe uma proposta com os devidos honorários (que variam entre 80 e 190 euros).

Benefícios fiscais ao empreendedorismo

A escalada do empreendedorismo tem sido crescente nos últimos anos, com ideias que tanto visam colmatar áreas onde faltavam soluções, como reinventar setores já bastante explorados.
Comentários