Annegret Kramp-Karrenbauer substitui Angela Merkel na liderança da CDU

A candidata venceu o advogado e antigo líder do grupo parlamentar dos democratas-cristãos, Friedrich Merz, na segunda ronda de votações. Com esta vitória, Annegret Kramp-Karrenbauer pode vir a tornar-se a próxima chanceler da Alemanha e a líder política mais poderoso da Europa.

A secretária-geral da CDU, Annegret Kramp-Karrenbauer, foi escolhida esta sexta-feira para substituir Angela Merkel na União Democrata-Cristã (CDU). A candidata venceu o advogado e antigo líder do grupo parlamentar dos democratas-cristãos, Friedrich Merz, na segunda ronda de votações, com 51,8% dos votos.

Annegret Kramp-Karrenbauer, de 56 anos, é politicamente mais próxima da via centrista de Merkel. No entanto, tendo em conta o enfraquecimento político da chanceler alemã, a candidata veio subtilmente a distanciar-se de algumas decisões da chanceler alemã durante a campanha à liderança no partido, embora sem ir longe demais. “O adversário político está nas fileiras dos outros partidos”, lembrou, no primeiro debate político entre os três candidatos.

Apelidada de “mini-Merkel”, Annegret Kramp-Karrenbauer apoiou as políticas de imigração da chanceler alemã e fez parte da organização da campanha eleitoral de Merkel às eleições do ano passado. A secretária-geral da CDU traz consigo uma vasta rede de contactos entre os órgãos do partido, fruto das funções políticas que desempenha, e, embora Merkel não tenha formalizado qualquer apoio a nenhum dos três candidatos, AKK, como também é conhecida, tem a sua aprovação.

A candidata tem como prioridades a recuperação do sentimento de pertença alemão e de identificação com o partido, o reforço da segurança e o fomento de uma economia social de mercado, com menos burocracias e mais inovadora e voltada para o meio digital. A candidata tinha dito que, se perder as eleições internas, deixaria o cargo de secretária-geral do partido.

No final de outubro, a líder do governo alemão anunciou a intenção de não se recandidatar à liderança do partido. Ao todo, Angela Merkel conduziu o partido durante 18 anos. Com esta vitória, a nova líder pode vir a tornar-se a próxima chanceler da Alemanha e a líder política mais poderoso da Europa.

Relacionadas

PremiumCandidatos à liderança da CDU afastam-se do legado de Merkel

Às eleições internas da CDU, que decorrem este fim de semana, concorrem três projetos radicalmente diferentes para suceder à via centrista de Merkel. O resultado das votações vai ditar o futuro do partido e da Alemanha e pode afetar o projeto europeu.
Recomendadas

Teerão condena pedido “arrogante” dos Estados Unidos à Europa

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão classificou como odioso e arrogante o pedido norte-americano que quer levar a Europa a abandonar o acordo nuclear com Teerão.

May pede a deputados conservadores que deixem de lado “preferências pessoais”

A primeira-ministra britânica pediu aos deputados conservadores para se unirem no apoio a um acordo sobre a retirada do Reino Unido da União Europeia.

Angola está muito atraente para os investidores

Analista do centro de pesquisa norte-americano Atlantic Council considera que Angola é “um ponto brilhante” para os investidores internacionais, ao contrário do resto de África.
Comentários