Ano Novo, calendário novo (e grátis!)

Um calendário de marketing e redes sociais é a surpresa que a E-goi preparou para receber 2019 da melhor maneira.

Especialista em soluções de gestão e envio de campanhas de e-mail e automação de marketing, a E-goi está a oferecer gratuitamente um calendário online que inclui datas relevantes e alguma informação útil para se transformar numa ferramenta essencial para empreendedores, empresários, profissionais de marketing e redes sociais, no planeamento de conteúdo para as suas ações de comunicação.

Segundo Marcelo Caruana, marketing manager da E-goi, “esperamos que este calendário possa ser uma fonte de inspiração com ideias que permitam poupar tempo precioso na organização e planeamento de estratégias de comunicação e, desta forma, alavancar o crescimento de qualquer tipo de negócio”. O calendário é abrangente e tem datas que servem a todos os profissionais, independentemente da área em que trabalham: “claro que incluímos datas comerciais óbvias, mas fomos mais longe e acrescentámos ainda datas originais, das quais ninguém se lembraria, como o Dia Sem Calças no Metro ou o Dia Mundial da Sanita.

Por serem diferentes e engraçadas, podem ajudar a reforçar o relacionamento com os clientes”, conclui. Este calendário digital está disponível para ser integrado nos calendários Google, no Mac ou no Outlook. Para realizar o download, clique aqui.

 

 

Este artigo foi produzido em colaboração com a E-goi.

Recomendadas

Sociedades-veículo do ex-BPN reduzem prejuízos em 58% em 2017 para 109 milhões

Os relatórios e contas da Parvalorem, Parups e Parparticipadas, aprovados pelo acionista em 27 de fevereiro, mostram uma recuperação nas contas das sociedades, que, em 2016, tinham apresentado resultados negativos agregados de 264,3 milhões de euros.

Lisboa é a vencedora da Semana Europeia da Mobilidade 2018

O prémio chega a Lisboa pelas mãos do vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar. Lisboa estava na corrida ao prémio desde o dia 26 de fevereiro deste ano.

PSD quer auditoria ao período pós-resolução do BES

Segundo o deputado do PSD, António Leitão Amaro, o que é preciso auditar, “e que ainda não foi auditado” consiste no que aconteceu depois da resolução do BES, “como a venda do Novo Banco à Lone Star e o que aconteceu depois disso”, nomeadamente, “as imparidades”.
Comentários