Ano novo, novos investimentos. Onde investir €1000 em 2020?

Acredite ou não, mas basta ter €1000 no bolso para poder começar a investir. Comece o ano com o pé direito e com o investimento certo. Damos-lhe a conhecer 3 opções para começar já hoje a investir.

Longe vão os tempos em que o investimento era uma atividade exclusiva para milionários. Na prática, qualquer valor pode ser investido. É mais seguro e inteligente começar com uma qualquer quantia do que deixar esse dinheiro parado. Com apenas €1000 pode começar a investir e a gerar lucros a longo prazo.

Já antes lhe tínhamos falado do melhor amigo de qualquer investidor: os juros compostos. Compreenda o poder destes juros nas opções que destacamos abaixo. Basta escolher aquela que se adapta melhor às suas necessidades e objetivos.

Modernizar o investimento

A desconfiança e o descontentamento com as opções tradicionais de investimento oferecidas pelos bancos comuns afastam muitos potenciais investidores do mercado. A memória é uma ferramenta bastante eficaz e o ceticismo que ainda rodeia os grandes desastres da bolsa de investimento faz-se sentir.

Contudo, numa era em que os bancos tradicionais perdem terreno para os bancos digitais e para a fintechs, o investidor pode reconquistar alguma confiança no investimento. Quem investe procura sobretudo clareza, rapidez, facilidade e transparência. Escusado será dizer que a mobilidade é um requisito.

É neste contexto que surgem diversas plataformas de investimento 100% digitais, como o crowdfunding e o crowdlending ou os investimentos participativos em imóveis. Não se assuste já com os termos: usar estas plataformas é extremamente simples.

Tome o exemplo da Bondora, uma das plataformas de crowdlending mais recomendadas da Europa. Nela pode-se conectar a investidores que procuram gerar rendimento com pessoas que precisam de empréstimos. O investidor empresta o seu dinheiro e, em troca, recebe os juros. A Bondora é a intermediária desta transação.

Esta opção não é novidade: a Bondora já soma 10 anos no mercado, mas o conceito parece assustar ainda algumas pessoais. Na verdade, investir em crowdlending é mais fácil do que parece. Com recurso ao produto Go & Grow, a Bondora facilita todo este processo: o investidor precisa apenas de adicionar fundos à sua conta e assistir enquanto o seu rendimento esperado chega até aos 6,75%* ao ano. Estes juros são recebidos diariamente e, a qualquer momento, o investidor pode solicitar a retirada a 100% dos fundos aplicados no Go & Grow.

 

É realmente a solução mais simples para quem está agora a entrar no mundo do investimento e não quer ver o seu dinheiro parado. O melhor de tudo? O registo na plataforma leva apenas 1 minuto.

A Bondora é fácil de usar, garante uma alta liquidez e pode começar a investir com qualquer valor a partir de €1. Apesar de o conceito de empréstimos entre particulares poder gerar algum ceticismo nos mais inexperientes, o Go & Grow é tão simples de usar que deixa qualquer principiante confiante nos seus investimentos.

*Como em qualquer investimento, o capital está em risco e os investimentos não são garantidos. O rendimento é de até 6,75% ao ano. Antes de investir, consulte por favor a declaração de risco da Bondora ou entre em contacto com o seu assistente financeiro.

 

Fundos de reserva

Pode também optar por ETFs (Fundos Cotados em Bolsa). Estes funcionam da mesma forma que um fundo tradicional: vários investidores confiam as suas poupanças a um gestor profissional que, em troca, recebe comissões. A única diferença é que esta gestão sai mais simples, barata, transparente e estável, uma vez que algumas plataformas mais adequadas aos tempos modernos permitem ao utilizador o controlo total do investimento.

Ainda assim, tal como no mercado de ações, os investimentos em ETFs podem ser extremamente voláteis e gerar prejuízos a quem tem pouco experiência em investimentos. É frequente existirem custos associados à compra e venda em bolsa o que obriga a que o valor mínimo de investimento seja superior.

 

Juros bancários: o modelo tradicional ainda rende?

Há bastante tempo que os juros bancários deixaram de ser tidos como uma opção para ganhar dinheiro. Se às taxas próximas de zero juntarmos a inflação, esta é a solução onde o investidor pode perder uma boa parte das suas poupanças. Recordamos-lhe que os bancos tradicionais, na sua larga maioria, cobram taxas de manutenção e exigem elevados níveis de burocracia na abertura e fecho de contas bem como nos depósitos e levantamentos superiores a determinados montantes.

Apesar de, comparados com outras instituições, os bancos ainda garantirem alguma credibilidade junto do utilizador, o rendimento é próximo de zero e os constrangimentos que a banca atravessa geram alguma desconfiança e descrédito junto dos investidores.

Não há motivo para temer os investimentos e nada o impede de começar 2020 com o pé direito (e, de preferência, com dinheiro na mão). Seja qual for a opção que escolher, não se esqueça de que quanto mais cedo começar a investir, maiores tendem a ser os seus lucros no futuro. Pequenos investimentos podem acumular juros e gerar retornos agradáveis no futuro. Escolha a melhor opção para si e invista já hoje aqueles €1000 que queria ver crescer.

 

 

Este conteúdo foi produzido em colaboração com a Bondora.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

“Queremos estar na linha da frente para relançar a economia nacional”, assegura vice-presidente da IP

Segundo os dados mais recentes fornecidos pela gestora da rede ferroviária nacional ao Jornal Económico, 63% das obras previstas no pano Ferrovia 2020 estão em andamento ou já foram finalizadas, um aumento face aos 52% neste estado que se verificavam em fevereiro deste ano. Estão mais de 800 milhões de euros em obra.

CGTP considera que apoios às empresas e famílias negligenciam “questões essenciais”

“A procura interna e o consumo das famílias, não só no atual período, como na fase que se vai seguir, serão determinantes para relançar a economia, promover emprego e assegurar que os bens e serviços das empresas são vendidos”, sustenta a intersindical.
Comentários