PremiumAdrien Bouchet: “Para as ligas serem competitivas, todos os clubes têm de ser fortes”

Adrien Bouchet, antigo senior manager explica ao Jornal Económico o sucesso do modelo desportivo-financeiro na América do Norte, onde a mentalidade e partilha da riqueza entre os clubes são a chave.

Mentalidade. É esta a chave do sucesso financeiro e desportivo das modalidades norte-americanas. As diferenças que existem entre a forma de trabalhar o mercado do desporto nos Estados Unidos e em Portugal foram estabelecidas por Adrien Bouchet, professor e ex-diretor da NFL, e dos Miami Dolphins, equipa da NFL, numa masterclass sob o tema “Novos desafios para a Gestão Desportiva”, no INDEG-ISCTE, no âmbito da âmbito da Pós-Graduação em Gestão e Marketing Desportivo, daquele estabelecimento de ensino.

Em entrevista ao Jornal Económico, Adrien Bouchet, começa por explicar que em Portugal “o ênfase está todo na competição, os clubes a competirem entre si. Isso não é verdadeiramente necessário nos Estados Unidos, onde os clubes competem dentro do campo, mas fora dele cooperam entre si”, ao contrário de Portugal, onde “o Benfica e o Sporting competem ambos no campo e depois competem para ter adeptos, já que os estádios ficam muito próximos”, dando o exemplo dos EUA e da “grande rivalidade no campo entre os Dallas Cowboys e os Philadelphia Eagles, mas os estádios ficam a 1.600km de distância das duas equipas. É uma cultura diferente”, até porque “nos Estados Unidos os adeptos falam menos dos aspetos do negócio e falam mais dos atuais treinadores e jogadores, mas não tanto sobre o que a equipa deve fazer do ponto de vista do negócio a certa altura”, refere Adrien Bouchet.

Artigo reservado a assinantes do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Artigo publicado na edição nº1999 de 26 de julho de 2019, do Jornal Económico.

Recomendadas

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.

PremiumSobre o eterno amor entre os argentinos e o peronismo

A aventura ‘modernista’ de Mauricio Macri parece ter os dias contados. Mas a vizinhança liberal está a fazer tudo para reverter as primárias.

PremiumNovo hospital custará menos 80 milhões do que o previsto em 2017

Pensado para iniciar atividade em 2012, o novo hospital de Lisboa Oriental foi vendo esse prazo ser dilatado, sendo agora certo que abrirá portas em 2023… ou 2024.
Comentários