António Costa: “Alternativa à política de austeridade resultou no maior crescimento económico do século”

O governante sublinhou, num debate sobre o “futuro da Europa” em Estrasburgo, que Portugal fez diferente, mas cumpriu sempre as regras e essa “afirmação da soberania democrática” permitiu-lhe reforçar a sua ligação com Bruxelas.

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta quarta-feira, num debate sobre o “futuro da Europa”, em Estrasburgo, que a alternativa à política de austeridade resultou no “no maior crescimento económico desde o início do século”. O governante sublinha que Portugal fez diferente, mas cumpriu “sempre as regras”, o que lhe permitiu reforçar a sua ligação com Bruxelas.

“Em Portugal, definimos uma alternativa à política de austeridade, centrada em mais crescimento económico, mais e melhor emprego e maior igualdade, o que resultou no maior crescimento económico desde o início do século”, afirmou António Costa aos eurodeputados, em Estrasburgo. “Fizemos diferente, mas cumprimos as regras de Bruxelas e temos aliás hoje finanças públicas mais sólidas do que tínhamos há três anos”.

O líder do Executivo português considera que a Europa vive um momento de apaziguamento, mas realça que os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) devem continuar a trabalhar em conjunto para garantir a sustentabilidade do projeto europeu. “A União Europeia tem de estar à altura da sua responsabilidade histórica”, afirmou António Costa, lembrando o Brexit e a crise migratória.

“Não temos por isso qualquer crise existencial. É na União e com todos os que o queiram, que desejamos construir o nosso futuro”, garantiu o governante.

Relacionadas

Cristas diz que só há uma escolha inequívoca contra PS e esquerdas

“Quem não acredita no Partido Socialista, quem não se revê nas esquerdas encostadas tem uma escolha clara, uma escolha segura, uma escolha inequívoca. E essa é só uma: nós, o CDS”, defendeu Assunção Cristas no discurso de encerramento do 27.º Congresso do CDS-PP, em Lamego (Viseu).

Crescimento da construção acelerou em janeiro, para máximos de três anos

Os índice de emprego e das remunerações efectivamente pagas também registaram variações homólogas positivas. O emprego cresceu 2,2% e as remunerações 2,9%.

Centeno: melhoria da avaliação reflete mudança estrutural da economia

A Comissão Europeia removeu Portugal da categoria de “desequilíbrios excessivos”, uma decisão que o ministro das Finanças diz ser resultado da evolução positiva de vários indicadores.

INE confirma crescimento económico português de 2,7% em 2017

Dados divulgados esta quarta-feira confirmam a estimativa rápida, conhecida há duas semanas. Desde 2000 que o produto interno bruto (PIB) nacional não crescia a um ritmo tão rápido.

Dívida Pública desce para 125,6% por causa da subida do PIB

O crescimento do PIB confirmado pelo INE justifica a melhoria do rácio de dívida pública face ao previsto pelo Governo que era de 126,2% do PIB.

Construção foi o alicerce do crescimento económico mais rápido desde 2000

A economia nacional cresceu 2,7% em 2017, impulsionada pelo investimento. Todos os segmentos aumentaram – desde a maquinaria à propriedade intelectual -, mas foi a construção que mais se destacou.
Recomendadas

Floresta diversificada resiste melhor a fogos e secas, revela estudo

Investigadores liderados pelo biólogo William Anderegg, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluíram que uma floresta com uma grande variedade de árvores e de características diversas relacionadas com o fluxo da água sofre menos com os períodos de seca.

Superbrands: há uma marca portuguesa entre as 10 preferidas pelos consumidores

Dentro dos setores avaliados, aqueles mais relevantes são os de motores, eletrónica e moda de consumo, superfícies comerciais e desporto.

Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.
Comentários