António Costa apresenta Governo com poucas alterações e quatro ministros de Estado

Mário Centeno, Pedro Siza Vieira, Augusto Santos Silva e Mariana Vieira da Silva são ministros de Estado. Alexandra Leitão, Ana Mendes Godinho, Ana Abrunhosa, Maria do Céu Albuquerque e Ricardo Serrão Santos passam a ser ministros, enquanto Vieira da Silva, Capoulas Santos e Ana Paula Vitorino deixam o Governo.

O primeiro-ministro indigitado António Costa entregou ao final da tarde desta terça-feira a lista dos ministros do XXII Governo Constitucional, que tomará posse na próxima semana, depois de se iniciarem os trabalhos da Assembleia da República.

Além da subida de quatro ministros do anterior governo a ministros de Estado (Mário Centeno, Pedro Siza Vieira, Augusto Santos Silva e Mariana Vieira da Silva), uma das maiores surpresas é a manutenção de Francisca Van Dunem na pasta da Justiça. Mas continuidade é a palavra de ordem no segundo Executivo de António Costa, que mantém 15 ministros do XXI Governo Constitucional, sem grandes alterações nas suas pastas para lá da aposta na Transição Digital na pasta da Economia atribuída a Pedro Siza Vieira, enquanto Matos Fernandes vê o Ministério do Ambiente e da Transição Energética passar a Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Os únicos novos ministros são Alexandra Leitão (até agora secretária de Estado adjunta e da Educação), que assume a pasta de ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública; Ana Mendes Godinho (ex-secretária de Estado do Turismo), que substitui Vieira da Silva no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Abrunhosa (presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro), nova ministra da Coesão Territorial, Maria do Céu Albuquerque (ex-secretária de Estado do Desenvolvimento Regional), que substitui Capoulas dos Santos na Agricultura, e o ex-eurodeputado Ricardo Serrão Santos, que substitui Ana Paula Vitorino no Ministério do Mar.

Mantêm-se o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, e o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes, enquanto o ex-chefe de gabinete de Mário Centeno e até agora presidente da Opart, André Moz Caldas, é o novo secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros.

Primeiro-Ministro – António Costa;
Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital – Pedro Siza Vieira;
Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros – Augusto Santos Silva;
Ministra de Estado e da Presidência – Mariana Vieira da Silva;
Ministro de Estado e das Finanças – Mário Centeno;
Ministro da Defesa Nacional – João Gomes Cravinho;
Ministro da Administração Interna – Eduardo Cabrita;
Ministra da Justiça – Francisca Van Dunen;
Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública – Alexandra Leitão;
Ministro do Planeamento – Nelson de Souza;
Ministra da Cultura – Graça Fonseca;
Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – Manuel Heitor;
Ministro da Educação – Tiago Brandão Rodrigues;
Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social – Ana Mendes Godinho;
Ministro da Saúde – Marta Temido;
Ministro do Ambiente e da Ação Climática – João Pedro Matos Fernandes;
Ministro das Infraestruturas e da Habitação – Pedro Nuno Santos;
Ministra da Coesão Territorial – Ana Abrunhosa;
Ministra da Agricultura – Maria do Céu Albuquerque;
Ministro do Mar- Ricardo Serrão Santos;

Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares – Duarte Cordeiro;
Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro – Tiago Antunes;
Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros – André Moz Caldas

Ler mais
Recomendadas

Ministra admite que a precariedade na Cultura está “mais visível” mas sem solução “em dois meses”

Segundo a ministra, o Governo está “a trabalhar” e assumiu “o compromisso de, ao longo deste ano, resolver as questões laborais, de carreiras contributivas” ou “de descontos” destes profissionais, entre outras matérias.

Morreu Luís Pimentel, ex-secretário-geral adjunto do PSD

Luís Pedro Pimentel, natural de Alijó, distrito de Vila Real, foi secretário-geral adjunto dos sociais-democratas durante a liderança de Pedro Passos Coelho, quando o secretário-geral era José Matos Rosa, e foi deputado à Assembleia da República, que deixou em 2015.

Ministro do Ambiente congratula-se com abertura das praias mas pede cumprimento das regras

Na cerimónia de abertura da época balnear, que decorreu na Praia da Rocha, em Portimão, João Pedro Matos Fernandes revelou-se orgulhoso “por não haver praias privadas em Portugal”, defendendo que o “acesso ao areal deve ser livre, mas há que garantir as regras impostas este ano”.
Comentários