Apoio socialista garante eleição de Ursula von der Leyen

Rejeição da candidata a presidente da Comissão Europeia entre os socialistas e os centristas não foi suficiente para impedir a eleição de Ursula von der Leyen.

REUTERS/Vincent Kessler

A Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D) anunciou que irá votar a favor da eleição da democrata-cristã alemã Ursula von der Leyen para a presidência da Comissão Europeia, o que praticamente garante que a até agora ministra da Defesa do governo de Angela Merkel será a primeira mulher a ocupar esse cargo.

“Apesar disso, estaremos vigilantes para assegurar que ela cumpre os compromissos progressistas resultantes da nossa pressão”, avisaram os dirigentes da família política que engloba o PS.

Segundo a imprensa internacional presente em Estrasburgo, haverá ainda assim algumas dezenas de eurodeputados do S&D que votarão contra a candidata, nomeadamente os seus compatriotas do SPD. O mesmo deverá acontecer com menos de uma dezena de representantes dos partidos do grupo centrista Renovar Europa, mas a falta destes votos deverá ser compensada por alguns menos expectáveis. Segundo o site Politico Europe, o Partido Lei e Justiça, que está no poder na Polónia e é a maior força política entre os Conservadores e Reformistas Europeus, também irá votar a favor de Ursula von der Leyen.

Relacionadas

Ursula von der Leyen: “No mar existe o dever de salvar vidas”

Discurso da candidata a presidente da Comissão Europeia antes da votação do seu nome no Parlamento Europeu ficou marcada por uma mensagem ambientalista e feminista. Mas também por palavras sobre a crise dos refugiados particularmente direcionadas a Matteo Salvini.

Green deal: Ursula von der Leyen promete um bilião de euros para combater alterações climáticas

Os eurodeputados vão hoje votar o nome da política alemã para presidente da Comissão Europeia.
Recomendadas

Ex-PR de Angola nega qualquer transferência de dinheiro do Estado para si ou entidades públicas

Numa carta aberta, datada de 13 de janeiro e dirigida ao presidente da Assembleia Nacional e ao juiz presidente do Tribunal Constitucional, e que foi divulgada hoje, José Eduardo dos Santos nega qualquer “participação direta” na compra e venda de diamantes e na venda do petróleo bruto.

Secretário da Cultura brasileiro vai ser afastado do cargo depois de citar discurso de propaganda nazi

O secretário da Cultura brasileiro fez um inspirado nas palavras de Goebbels, o ministro da propaganda de Hitler.

Primeiro-ministro da Ucrânia pede a demissão

A decisão está relacionada com a divulgação de um áudio no início da semana no qual Oleksiy Honcharuk parece fazer comentários depreciativos sobre os conhecimentos de economia do presidente.
Comentários