Apoios sociais: PSD pede que Governo adote “soluções criativas” (com áudio)

Para o PSD esta é uma “querela” entre Presidente da República e Governo na qual os portugueses “não podem ser usados como uma espécie de campo de batalha”.

Adão Silva, vice-presidente do grupo parlamentar do PSD | Flickr/PSD

O deputado do Partido Social Democrata (PSD) Adão Silva pediu ao Governo que encontrasse “soluções criativas”, depois de o primeiro-ministro ter anunciado que iria enviar os diplomas dos apoios sociais para fiscalização no Tribunal Constitucional .

Em reação à decisão de António Costa na quarta-feira, Adão Silva frisou, através da página do partido, que o PSD pretende que o Primeiro-Ministro, em vez de dizer que o Presidente da República tem uma interpretação criativa da Constituição, “tenha soluções criativas para os portugueses”. Recordando assim as palavras de António Costa depois do Presidente da República ter promulgado o alargamento dos apoios sociais, que tinham sido aprovado pela Assembleia da República.

“Numa situação de dramatismo social, o Parlamento não pode ficar de braços cruzados: o Parlamento legislou dentro das suas competências, o Presidente da República promulgou, o senhor Primeiro-Ministro não está de acordo e recorre para instância Tribunal Constitucional, está no seu direito”, garantiu Adão Silva.

Para Adão Silva a situação atual reflete um desentendimento entre Marcelo e Costa. “No meio desta eventual querela entre Presidente da República e Governo estão os portugueses que não podem ser esquecidos e não podem ser usados como uma espécie de campo de batalha entre dois órgãos da maior relevância”, referiu o social-democrata.

Adão Silva aponta que os portugueses estão a viver “uma hora extrema, de grande delicadeza” e é necessário “encontrar soluções boas e integradoras de famílias, empresários e trabalhadores”. “O fundamental é que, no meio deste jogo institucional, não fiquem esquecidos os portugueses”, sublinhou.

 

Ler mais
Relacionadas

“Governo decidiu travar uma guerra constitucional em plena pandemia”, diz Bloco de Esquerda

O deputado do BE, José Soeiro, acredita que a “guerra constitucional” não terá “nenhum efeito prático”. Os comentários surgem depois de António Costa ter enviado para o Tribunal Constitucional os diplomas que previam o alargamentos dos apoios sociais.
Inês Sousa Real no Infarmed

PAN critica opção “precipitada” que revela “teimosia do Governo”

Em declarações aos jornalistas, na Assembleia da República, a líder parlamentar do PAN, Inês Sousa Real, avisou que “o Governo vai ter de decidir a quem quer dar a mão” durante a crise provocada pela pandemia de covid-19.
Recomendadas

António Costa regressa hoje ao Parlamento para um novo debate sobre política geral

O quarto debate sobre política geral no Parlamento acontece numa altura em que a atualidade política tem sido marcada pela situação dos imigrantes em Odemira e os sucessivos pedidos de demissão do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita. As contas do Novo Banco e a pandemia são outras questões que poderão vir a ser levantadas pelos deputados ao primeiro-ministro.

Da amnésia nas CPIs à dimensão do movimento #MeToo em Portugal. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Costa diz serão retiradas as “devidas consequências políticas” se vir trabalho feito em Odemira

O primeiro-ministro considerou, esta quarta-feira, que se, no início do próximo ano, regressar a Odemira e já observar trabalho feito para “habitação condigna” de trabalhadores agrícolas, isso significará que o Governo retirou “as devidas consequências políticas” da atual situação.
Comentários