Apple e retalho afundam Wall Street. Rússia mantém OPEP em sentido

O tecnológico Nasdaq continuou a trajetória descendente, iniciada com o tombo da Apple, após a tecnológica ter anunciado a redução em 30% da produção do iPhone XR, motivada pela procura abaixo do esperado

A cautela tomou conta de Wall Street, com os principais índices norte-americanos a encerrarem a sessão desta terça-feira a negociarem em terreno negativo. Depois da forte queda nas tecnológicas, foi a vez dos títulos do industrial Dow Jones tombarem.

O industrial Dow Jones 30 deslizou 2,21% para 24.465,64 pontos e o S&P 500 caiu 1,79% para 2.642,44 pontos, caindo para mínimos de três semanas, enquanto as ações de energia caíram com os preços do petróleo e os retalhistas, incluindo as ações da Target e da Kohl’s a afundarem após resultados mais fracos que o esperado.

O tecnológico Nasdaq continuou a trajetória descendente, iniciada com o tombo da Apple, após a tecnológica ter anunciado a redução em 30% da produção do iPhone XR, motivada pela procura abaixo do esperado. A empresa liderada por Tim Cook tinha feito encomendas de 70 milhões de iPhones para o período entre os meses de setembro deste ano e fevereiro de 2018. A Apple desvalorizou quase 5% para 176,98 dólares.

O Nasdaq encerrou a cessão a desvalorizar 1,70% para 6.908,82 pontos.

“Apesar de estar a ser uma época de bons resultados, as pessoas estão ansiosas para o próximo ano e preocupadas com uma desaceleração”, disse Mark Kepner, operador de ações da Themis Trading em Chatham, Nova Jersey, à agência Reuters. “Neste momento, é vender primeiro, questionar depois”, acrescentou.

Esta semana será mais curta em Wall Street com a celebração do Dia de Ação de Graças, na quinta-feira, e uma sessão de sexta-feira mais curta. Os investidores estão, assim, a adoptar uma postura mais conservadora.

Quanto ao ‘ouro negro’, os preços do petróleo iniciaram a semana em alta, impulsionados pela possibilidade do cartel Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) cortar a produção para combater os efeitos da oferta excessiva no mercado. No entanto, esta terça-feira, o ministro da Energia russo, Alexander Novak, anunciou que a redução da produção de petróleo afinal não deverão avançar já em dezembro, o que pressionou os mercados.

O West Texas Intermediate, quer serve de preço de referência para o mercado norte-americano, caiu 6,92%, para 53.24 dólares e Brent, referência para a Europa, cai 6,65%, para os 62,35 dólares.

 

Ler mais
Relacionadas

Bruxelas atribui prémio a projeto português de descarbonização

O projeto, ‘Living Lab Matosinhos’, que decorrerá por mais dois anos, pressupõe um investimento de um milhão de euros e envolve 18 parceiros, desde empresas e centros de conhecimento a operadores de mobilidade e associações locais.

Hecatombe das tecnológicas arrasa bolsas europeias. PSI 20 em mínimos

Os principais índices fecharam em terreno negativo, num dia afectado pela hecatombe das empresas do setor tecnológico. O índice FAANG (Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Alphabet – dona da Google) cai 3,39% e com isso está a arrastar as bolsas.

CMVM regista primeira sociedade de empreendedorismo social, a Mustard Seed Maze

O investimento em empreendedorismo social concretiza-se na aplicação de fluxos de capital, por período de tempo limitado, em entidades que desenvolvem soluções adequadas e quantificáveis para problemas de cariz social.

Euronext vê “sinais positivos” em Angola

“Vejo grande determinação na adopção de novas regras de organização e de governo, e na procura de uma melhor utilização dos recursos em Angola”, disse Isabel Ucha, administradora da Euronext.

“Não podemos continuar com um crescimento potencial anémico”, defende Carlos Costa

Governador do Banco de Portugal apelou à reflexão sobre os modelos de gestão utilizados pelas empresas. Defendeu ainda que o país não pode “continuar com um crescimento anémico”.
Recomendadas

Só o Dow Jones fechou em alta. Petróleo disparou

Otismismo dos investidores em torno das negociações comerciais desvaneceu e só o Dow Jones encerrou em terreno positivo. Petróleo disparou.

Bolsa de Lisboa fecha em queda no dia de projeções económicas do BCE

O Banco Central Europeu confirmou ainda esta quinta-feira a intenção de colocar um ponto final nas compras líquidas de dívida pública que tem vindo a realizar durante os últimos quatro anos e meio com o objectivo de estimular a economia da zona euro.

Empresas emitiram menos dívida em outubro, diz Banco de Portugal

O saldo de títulos de dívida emitidos por Sociedades não Financeiras no fim de outubro de 2018 ascendeu a 33.682 milhões de euros, diminuindo 216 milhões de euros face ao mês anterior e registando uma variação homóloga de -3,6%.
Comentários