Aquisições das empresas rent-a-car continuam em alta e quase atingem os 8 mil veículos

Segmentos A, B e C representam a maioria das aquisições efetuadas pelas empresas de rent-a-car.

HO/Reuters
Ler mais

No canal de rent-a-car as aquisições de ligeiros de passageiros, em março último, atingiram as 7.337 unidades, sendo que, no que respeita a veículos novos, as empresas deste setor em Portugal,  adquiriram um total de 7.823 veículos face aos 7.691 adquiridos em período homólogo do ano anterior, avança a ARCA- Associação dos Industriais de Aluguer de Veículos sem Condutor.

Sobre o desempenho do conjunto das empresas associadas, que se dedicam à atividade de aluguer de curta duração (veículos ligeiros de passageiros, comerciais ligeiros, pesados de mercadorias, todo-o-terreno e motociclos, a ARAC dá ainda nota de que na composição das aquisições referidas, prevalecem (à semelhança do mercado nacional de um modo geral) os segmentos A, B e C, os quais representam a maioria das aquisições efetuadas pelas empresas de rent-a-car.

Neste contexto, a ARAC sublinha o “papel decisivo” que o rent-a-car assume, sobretudo devido à “forte aquisição de veículos novos”, na modernização do parque automóvel nacional através da colocação, após a utilização dos veículos no comércio, de um número significativo de veículos de ocasião (os chamados veículos semi-novos), substituindo-se assim veículos antigos por veículos recentes e com motores mais eficientes e amigos do ambiente a preços mais convidativos para o publico em geral.

A associação reforça também que o Turismo continua a ser o maior mercado das empresas de rent-a-car representando cerca de 60% do seu volume de negócios. “A atividade de aluguer de viaturas em regime de curta duração constituiu uma importante componente da economia nacional, com especial destaque para o Turismo”, remata a ARAC.

Recrode-se ainda que o mercado português de veículos ligeiros de passageiros e comerciais ligeiros encerrou o mês de março com 31.313 veículos automóveis ligeiros vendidos, o que representa um aumento de 6% face ao mesmo mês de 2017, segundo os mais recentes dados da ACAP – Associação Automóvel de Portugal.

 

Recomendadas

Avanços da Mercadona em Portugal não surpreendem

O anúncio de expansão da Mercadona em território nacional veio “agitar as águas”, abrindo a porta à reflexão sobre esta presença, mas também sobre o peso que assumem hoje as insígnias espanholas na distribuição portuguesa.

Marcas ocidentais perdem terreno nas preferências dos consumidores chineses

Enquanto a Apple, IKEA, Nike ou BMW perdem popularidade, marcas chinesas como a Alipay, Huawei ou Taobao sobem no índice de preferência dos consumidores.

Preços da eletricidade e gás em Espanha e Portugal são dos mais caros da União Europeia

No segundo semestre de 2017, a Espanha foi o sexto país da União Europeia com eletricidade mais cara (Portugal foi o quinto), segundo dados compilados pelo Eurostat. No topo desta tabela destacam-se a Alemanha, a Dinamarca e a Bélgica.
Comentários