Arroz carolino foi a votos no Parlamento (e houve unanimidade)

O projeto de lei apresentado pela bancada comunista indica que, embora Portugal não seja autossuficiente na produção de arroz, já teve de proceder à sua exportação, devido à crescente procura por arroz asiático.

O Parlamento aprovou esta sexta-feira por unanimidade um reforço das campanhas de valorização do arroz carolino português, tendo em vista um aumento do seu consumo, em detrimento do arroz proveniente da Ásia. O projeto de lei apresentado pela bancada comunista indica que, embora Portugal não seja autossuficiente na produção de arroz, já teve de proceder à sua exportação, devido à crescente procura por arroz asiático.

“O arroz carolino é aquele para o qual o país e os produtores portugueses estão mais vocacionados e é nesta produção que Portugal faz a diferença. Apesar de o país não atingir a autossuficiência, dado os baixos níveis de consumo de arroz carolino, já aconteceu proceder-se à sua exportação”, lê-se no projeto de lei apresentado pelo Partido Comunista Português (PCP).

As crescentes produções provenientes da Ásia têm afetado o consumo de arroz nacional, ao colocarem no mercado arroz com custos muito inferiores aos praticados em termos nacionais.

O PCP considera que o arroz carolino, que representa cerca de dois terços do arroz produzido no país, é “o mais adequado à gastronomia nacional e colhe as preferências dos portugueses”, mas lamenta que as “diversas campanhas de marketing começaram a ‘desviar’ essas preferências para outras qualidades de arroz”.

Recomendadas

Não acordo no Brexit terá um impacto “relativamente pequeno” no mercado de trabalho alemão

Cerca de 41.000 britânicos estavam empregados na Alemanha em dezembro de 2017, um número que é “insignificante para o mercado de trabalho em geral”, revelou o governo de Angela Merkel ao “Der Spiegel”, em resposta ao partido de extrema-esquerda.

Ata do IPDJ contraria afirmações do secretário de Estado do Desporto

Ata de reunião de 5 de maio de 2017 do conselho diretivo do IPDJ confirma acusação que recai sobre Vítor Pataco: Baganha teve de avocar o processo que o seu vice reteve por nove meses.

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, diz ministro

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.
Comentários