ASAE abre 64 processos-crime num ano relacionados com vendas online

O valor dos bilhetes para eventos desportivos ou espetáculos musicais, assim como a contrafação foram os principais motivos da abertura dos processos.

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) instaurou 64 processos-crime no ano passado, relacionados com a especulação no comércio online. O valor dos bilhetes para eventos desportivos ou espetáculos musicais, assim como a contrafação foram os principais motivos da abertura dos processos, avança o jornal “Diário de Notícias”.

O ano passado, a ASAE passou 748 contraordenações relacionados com vendas online, tendo nos 55 processos que já transitaram em julgado sido pagos 141 mil euros em coimas. Todas as páginas online investigadas no ano passado tinham o domínio .pt, tendo 18 sido suspensas por comercializarem produtos contrafeitos.

A Associação da Economia Digital adianta que, em 2017, o comércio online em Portugal atingiu os 4,6 mil milhões de euros, com 36% dos portugueses a fazerem compras através deste meio. Na União Europeia (UE), 55% dos 741,4 milhões de cidadãos portugueses assumiram que fazem compras através da Internet. A ASAE tem, por isso, direcionado 10% das suas ações para esta atividade.

Recomendadas

Trump sobre Maduro: poderia ser “rapidamente derrubado” pelo exército venezuelano

Trump, que hoje interveio no primeiro dia do Debate Geral na 73.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU, declarou esta terça-feira que a situação na Venezuela é “um caso triste” que deseja “ver resolvido”.

“Querem atacar-me, ataquem-me a mim”. Maduro critica Departamento do Tesouro norte-americano

O primeiro mandatário venezuelano reagia ao anúncio de hoje, de novas sanções do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos da América (EUA) contra quatro pessoas do seu Governo, entre elas Cília Adela Flores de Maduro.

Ex-primeiro francês quer ser presidente da câmara municipal de Barcelona

“Quero ser o próximo presidente de câmara de Barcelona“, disse Manuel Vals, em catalão, numa cerimónia pública no Centro de Cultura Contemporânea da capital da Catalunha, colocando fim a vários meses de dúvida em relação às suas intenções de regressar à cidade em que nasceu há 56 anos.
Comentários