ASAE apanha talhos a vender carne falsificada e estragada

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) descobriu carne falsificada, estragada e abatida clandestinamente nos talhos. A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias este sábado, 25 de maio.

No total, a ASAE fiscalizou um total de 1.562 talhos desde 2017 até 15 de março de 2019. Destas fiscalizações resultaram 57 processos-crime.

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

Por consideraram que o setor da carne é “prioritário” pelo risco que representa para a saúde pública, são realizadas em média duas inspeções a talhos por dia.

A ASAE também abriu 399 processos de contra-ordenação por os talhos não cumprirem as regras de higiene na venda e na preparação da carne.

A ASAE disse ao JN que as infrações mais recorrentes são a incumprimento das normas de higiene na distribuição, preparação e venda de carnes; a falta de controlo da temperatura dos expositores; a comercialização de produtos fabricados em estabelecimentos não registados ou não aprovados.

A ASAE detetou uma taxa de incumprimento nas normas de 33% em 2017, valor que recuou para 27% em 2018.

Na carne picada, a ASAE inspecionou 56 amostras em 2017 e encontrou sulfitos em oito. Em 2018, o número de amostras atingiu as 82, com três a apresentarem sulfitos e quatro com salmonelas.

No âmbito das suas inspeções, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária detetou o incumprimento das normas de higiene e de rastreabilidade dos produtos em 50% das ações realizadas em 2018.

Ler mais

Relacionadas

“As pessoas devem poder fumar, beber e comer a carne vermelha que quiserem”, defende ministra da saúde norueguesa

Ministra da Saúde da Noruega critica intromissão dos governos na vida pessoal dos cidadãos. “A única coisa que nós, enquanto governos, devemos fazer é fornecer informações para que as pessoas possam fazer escolhas informadas”, defende.

Preço da carne de porco aumenta 40% em dois meses

O início das exportações para a China, em janeiro, trouxe novo alento ao setor que assume o “bom momento”.

Empresários portugueses à procura das oportunidades para a carne de porco na China

O 9º Congresso Nacional da Suinicultura será oficialmente inaugurado esta quarta-feira, numa cerimónia de abertura presidida por Luís Capoulas Santos, ministro da Agricultura.
Recomendadas

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Marcelo considera aumento do salário mínimo “razoável” e promulga hoje o diploma

O Presidente da República vai promulgar hoje o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera “uma solução razoável, a pensar na economia e na sociedade portuguesa”.

Carlos Costa: Instabilidade financeira iria “criar muitos problemas que alimentariam” populismos

Governador do Banco de Portugal voltou a apelar a uma vontade política decisiva para avançar com a conclusão da União Bancária e o desenvolvimento da União dos Mercados de Capitais, a fim de fortalecer a estabilidade da zona euro.
Comentários