Assembleia da Madeira discute voto de protesto contra falta de segurança nas levadas

O voto de protesto é apresentado pelo PTP, que diz que a falta de sinalética e informação em alguns percursos têm sido factores de risco que contribuem para a falta de segurança nas levadas da Madeira.

O plenário da Assembleia Legislativa da Madeira tem programado para esta terça-feira a discussão de um voto de protesto, apresentado pelo PTP, contra a falta de segurança nas levadas regionais.

Os trabalhistas defendem que as levadas são um dos grandes atractivos da Madeira mas que o aumento do número de turistas a circular nestes locais tem levado a cada vez mais acidentes.

Para o PTP para além das condições naturais o erro humano tem sido uma das causas para esses acidentes nas levadas da madeira que o partido justifica, no seu voto de protesto, como “fruto do desconhecimento, falta de preparação ou até excesso de confiança”.

A falta de sinalética e de informação, os deslizamentos de terra e a queda de rocha, que no entender do PTP constituem factores de risco nas levadas da Madeira.

O partido considera inaceitável a maneira como são geridos e mantidos os percursos pedestres junto às levadas da região.

Recomendadas

Exportações e importações sofrem forte abrandamento na Madeira

Em outubro as exportações subiram 26,8%, na Madeira, em contraste com os 32,8% do mês anterior. As importações cresceram 18,2%, uma taxa inferior aos 25,1% em comparação com o mês anterior.

Média de espetadores no Teatro Baltazar Dias chega aos 61%

O teatro municipal subiu a média de espectadores de 51% para os 61%, para os 46 mil espectadores, disse Paulo Cafôfo, presidente da Câmara Municipal do Funchal, durante a apresentação da revista CULTA.

Já viu uma tabela periódica humana? A Escola Jaime Moniz vai criar uma

A iniciativa insere-se na comemoração do ano internacional da tabela periódica decretado pela assembleia geral das Nações Unidas.
Comentários