Assista amanhã à JE editors Talks: Sociedades de Advogados Mais Inovadoras

Assista esta quinta-feira, às 15h00, a uma conversa sobre a crescente digitalização e inovação do setor e sobre como a pandemia veio acelerar a transição digital dentro do mesmo.

 

O contexto pandémico forçou diversos setores a uma rápida transição digital — e as sociedades de advogados não ficaram para trás. Contrariamente ao que se imaginaria, estas sociedades estão cada vez mais recetivas à tecnologia e, algumas até, ansiosas quanto à sua integração nos processos e serviços.

Em complemento com o caderno Especial que acompanha a recente edição do Jornal Económico, vamos estar à conversa sobre os desafios e oportunidades que esta inovação representa para o setor da advocacia.

Esta JE editors Talks contará com a participação da Morais Leitão, da CMS Rui Pena & Arnaut, da PLMJ e da Escola de Lisboa da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa.

Poderá assistir à mesma em direto, a partir das 15h00, no Facebook e na JE TV do Jornal Económico.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Morais Leitão, a CMS Rui Pena & Arnaut, a PLMG e a Escola de Lisboa da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa.

Recomendadas

Mota-Engil ganha contrato de mineração no Mali no valor de cerca de 295 milhões de euros

O grupo liderado por António Mota e Gonçalo Moura Martins explica que os trabalhos decorrerão em três minas de ouro, devendo arrancar em agosto de 2021, com uma duração de 81 meses e a faturação e pagamentos indexados ao dólar norte-americano.

Uma em cada quatro empresas espera queda nas vendas até ao final do terceiro trimestre

Segundo um estudo do ISCTE, realizado para a Confederação Empresarial de Portugal, apenas 26% acredita que as suas vendas vão aumentar até ao final do terceiro trimestre. Um terço “das empresas indicam que o seu número de encomendas reduziu em média 27%”, disse o professor Pedro Manuel Esteves.

Falha de segurança nos servidores da Volskwagen expôs dados de 3,3 milhões de pessoas

“Alguém não autorizado” obteve informações pessoais limitadas sobre clientes e compradores interessados ​​de um fornecedor a que as suas marcas e alguns revendedores dos Estados Unidos e do Canadá recorreram.
Comentários