Associação cabo-verdiana Amupal vai subaproveitar frutas em Planalto Leste

A presidente da Amupal, Josefa Sousa, disse que a associação tem projectos para aproveitar esse potencial, um dos quais já na fase de implementação, relacionado com a produção de sumos, doces e licores.

Uma grande quantidade de frutas, produzidas no perímetro do Planalto Leste de Santo Antão, tem sido subaproveitada pelos agricultores, ao longo dos anos, facto que preocupa a associação local das mulheres, a Amupal.

A presidente da Amupal, Josefa Sousa, disse que a associação tem projectos para aproveitar esse potencial, um dos quais já na fase de implementação, relacionado com a produção de sumos, doces e licores a partir da transformação de frutas, como marmelo, maçã e outros, produtos que estão no mercado há cerca de três meses.

Trata-se de um projecto que contou com apoio da Cooperação Portuguesa e da organização não-governamental Atelier Mar, que abarca 17 mulheres chefes de família, segundo a presidente da Amupal, Josefa Sousa.

A Amupal tem na forja outros projectos visando o aproveitamento do potencial existente no Planalto Leste a nível da  fruticultura, estando a procura de parceiros para avançar para uma experiência piloto de produção de vinhos.

A ideia é produzir, sobretudo, para os turistas que frequentam Planalto Leste, zona onde existe uma “importante produção” de uvas, mas desaproveitada pelos próprios agricultores.

Foi já lançada a ideia de promoção de uma feira no Planando Leste para divulgar o potencial agrícola da localidade, com enfoque no domínio da fruticultura.

Figos, marmelo e maçã da terra, produzidos em abundância, têm estado a ser vendidos ao desbarato ou estragar no Planalto Leste.

Ler mais
Recomendadas

Governo cabo-verdiano afasta problema de gestão nos aeroportos após rotura de combustíveis na Ilha do Sal

O ‘jet fuel’ afetou aviões que fizeram escala técnica na ilha no final da semana passada.

UE tem 2,5 milhões de euros para desenvolvimento sustentável e inclusão social em Cabo Verde

“Vamos ter em conta as propostas apresentadas, as temáticas tratadas, o trabalho já feito pelas organizações que vão apresentar estes projetos, a viabilidade e a sustentabilidade desses projetos, uma vez terminado o potencial financiamento”, disse Sofia Moreira de Sousa, embaixadora da União Europeia em Cabo Verde.

Bolsa de Valores de Cabo Verde sugere união dos Fundos do Ambiente, Turismo e Rodoviário

Emanuel Lima considera que esta pode ser a solução para grandes investimentos em Cabo Verde.
Comentários