AstraZeneca. 40% dos acionistas contra aumento salarial de presidente executivo

Depois de ter já mostrado o seu descontentamento com o facto de ser o diretor executivo com a remuneração mais baixa da indústria, Pascal Soriot vê agora aprovadas as alterações que lhe permitirão acumular duas vezes e meia o seu salário base em bónus anuais, ao invés do dobro anteriormente definido.

DR Pablo Martinez Monsivais

A proposta de aumento de salário do presidente executivo da farmacêutica AstraZeneca foi aprovada esta terça-feira com “uma proporção significativa” de votos contra, reconheceu a empresa depois de 40% dos votos terem expressado uma oposição a esta medida.

A alteração aos prémios de Pascal Soriot foi aprovada com 60,19% dos votos, com os restantes acionistas a considerarem excessivas as quantias a que agora terá direito o diretor executivo da farmacêutica anglo-sueca, reporta a Reuters.

Soriot passa assim a poder receber de bónus anual um montante equivalente a duas vezes e meia o seu salário base, um aumento em relação aos anteriormente definido, que passava pelo dobro, e torna o presidente executivo elegível para prémios de longo prazo em ações que representem até seis vezes e meia a sua remuneração atual, ao invés das cinco vezes e meia agora definidas.

O conselho de administração da farmacêutica reconheceu o carácter sensível dos planos de remuneração, mas justificou a decisão com a magnitude da tarefa incumbida a Soriot e ao diretor financeiro da empresa. O diretor executivo da Astrazeneca havia já manifestado o seu incómodo em ser o CEO mais mal pago da indústria, relembra a Reuters.

Recomendadas

PremiumEuro2020 pode ser pontapé para relançar mercado publicitário das marcas

Cobertura mediática será maior do que em 2016, mas é pouco provável que se traduza em recordes de audiências, dizem especialistas. Ainda assim, as marcas deverão aproveitar a oportunidade.

Já pode investir na criptomoeda Dogecoin com a aplicação da Revolut

A fintech britânica tem 30 criptomoedas disponíveis para investimento. Curiosamente, a cara que está nesta moeda virtual – ou seja, o focinho de cão – foi esta sexta-feira vendida como NFT por 4 milhões de dólares.

Ophiomics é a primeira empresa portuguesa a receber verbas do fundo do European Innovation Council

Ophiomics assegurou um investimento de um milhão de euros do fundo do European Innovation Council, no âmbito do programa-quadro Horizonte Europa, que é uma continuação do Horizonte 2020. Biotecnológica portuguesa é uma das 75 PME europeias mais “promissoras” para Bruxelas.
Comentários