Atividade económica da Madeira fecha 4º trimestre com nova subida

Entre outubro e dezembro este indicador passou dos 1,2 para os 2,2 confirmando uma subida cada vez mais acelerada da atividade económica da Madeira que vem registando valores positivos desde junho de 2013.

Ler mais

O Indicador Regional de Atividade Económica (IRAE) voltou a apresentar um valor positivo (2,2) em dezembro de 2017. Este valor confirma um último trimestre de 2017 sempre em constante subida. Em outubro e novembro este indicador passou dos 1,2 para os 1,8.

Este valor apresentado em dezembro é o confirmar de uma subida mais expressiva da atividade económica regional em comparação com novembro onde o indicador se fixou nos 1,8.

O IRAE tem atingido valores positivos desde junho de 2013 depois de um período de constantes quedas na atividade económica da Madeira.

De referir que apesar do crescimento da atividade económica da região autónoma verificou-se valores cada vez menores nessa tendência de subida do IRAE entre março e setembro de 2017. Nesse período o crescimento passou dos 2,4 para os 0,9.

Essa tendência de um crescimento cada vez menos expressivo foi quebrada entre outubro e dezembro, onde a atividade económica da Madeira passou a apresentar subidas cada vez mais substanciais.

Entre outubro e novembro o IRAE passou de 1,2 para os 2,2 na Madeira.

Recomendadas

Alberto II: de apreciador a confrade do Vinho Madeira

Príncipe Alberto II do Mónaco foi entronizado confrade do Vinho Madeira esta sexta-feira, declarando-se apreciador do vinho tal como o seu pai e o tetravô.

Dívida da Madeira diminui 103 milhões de euros no segundo trimestre

No final do segundo trimestre a dívida regional estava fixada em 4.709 milhões de euros. A Madeira teve também uma queda no peso dos empréstimos dos 73,2% para os 71,6%.

Plano B para viagens aéreas é limitado e financia encapotadamente agências de viagens, diz BE

O plano do Governo Regional, refere o BE Madeira, “ignora a liberalização da linha aérea” com o Continente e “deixa desamparados” os estudantes quando as viagens forem superiores a 400 euros e quando se esgotam os voos.
Comentários